Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

China poderia impor zona de exclusão aérea para impedir visita de Nancy Pelosi a Taiwan, diz jornal

© AP Photo / Kin CheungCaça chinês J-20
Caça chinês J-20 - Sputnik Brasil, 1920, 27.07.2022
Nos siga noTelegram
A possível visita de Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, pode provocar um conflito sem precedentes entre Pequim e Washington, avança o South China Morning Post com referência a especialistas militares.
De acordo com os interlocutores do jornal, as autoridades chinesas usarão meios diplomáticos, econômicos e até militares para que a viagem não seja realizada.

Segundo observa o especialista militar Li Jie, "o plano de Pelosi para visitar Taiwan aumenta o risco de conflito militar entre o Exército de Libertação Popular da China (ELP) e as Forças Armadas dos EUA sobre a questão de Taiwan, uma vez que a China continental de hoje é muito diferente do que era em meados da década de 1990".

O jornal explica que o especialista se refere à Terceira Crise do estreito de Taiwan de 1995-1996, quando Washington enviou dois grupos de ataque de porta-aviões para a região para impedir que o Exército da China transformasse os exercícios de mísseis em uma verdadeira invasão de Taiwan.
Li acrescentou que as Forças Armadas dos EUA afirmaram que, se for necessário, poderiam implantar porta-aviões para escoltar Pelosi, mas o Exército chinês já tem dois porta-aviões em serviço, portanto, seria bastante arriscado para ambos os lados implantar tais navios nas vias marítimas navegáveis.
A presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, fala à imprensa, em 3 de março de 2020, no Capitólio, em Washington - Sputnik Brasil, 1920, 22.07.2022
Panorama internacional
Aviso da China chega a Washington: até Pentágono se opôs à visita de Pelosi a Taiwan
Por outro lado, Ni Lexiong, professor da Universidade de Ciências Políticas e Direito de Xangai, disse que a cada vez menor diferença dos potenciais militares entre Pequim e Washington tornou as autoridades chinesas mais assertivas e menos tolerantes às provocações e desafios dos EUA.
"Pequim tem bastantes meios para pressionar Pelosi a desistir de seu plano. Em termos de opções militares, por exemplo, o ELP poderia declarar uma zona de exclusão aérea e uma zona de navegação restrita para exercícios militares perto do estreito de Taiwan, forçando a aeronave de Pelosi a fazer um desvio se ela insistir em visitar Taiwan", sugeriu Ni.
Ao mesmo tempo, o especialista aponta que Pequim prefere usar ferramentas diplomáticas para persuadir os EUA a cancelar a viagem de Pelosi.
Uma fonte militar disse ao jornal sob condição de anonimato que a visita de Pelosi poderia coincidir com o aniversário da fundação do ELP em 1º de agosto. Neste caso, o Exército chinês poderia iniciar exercícios militares de larga escala no estreito de Taiwan com grande número de navios de guerra e aeronaves.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала