Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Biden revela plano de US$ 600 bilhões no G7 para conter a China

© AP Photo / Brendan SmialowskiO presidente Joe Biden, à esquerda, conversa com o presidente francês Emmanuel Macron e o primeiro-ministro britânico Boris Johnson, à direita, ao chegarem à sede da OTAN em Bruxelas, quinta-feira, 24 de março de 2022
O presidente Joe Biden, à esquerda, conversa com o presidente francês Emmanuel Macron e o primeiro-ministro britânico Boris Johnson, à direita, ao chegarem à sede da OTAN em Bruxelas, quinta-feira, 24 de março de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 26.06.2022
Nos siga noTelegram
O presidente dos EUA, Joe Biden, revelou detalhes neste domingo (26) a respeito do plano de infraestrutura global de US$ 600 bilhões (R$ 3,14 trilhões) para conter a influência da economia chinesa no Ocidente.
Denominada de Parceria para Infraestrutura e Investimentos Globais (PGII, na sigla em inglês), a estratégia anunciada durante a cúpula do G7, na Alemanha, pretende combater a iniciativa Um Cinturão, Uma Rota, programa de financiamento de infraestruturas mundial chinês.
"Juntamente com os parceiros do G7, pretendemos mobilizar US$ 600 bilhões (R$ 3,14 trilhões) até 2027 em investimentos globais em infraestrutura", disse a Casa Branca no domingo (26), após o anúncio de Biden.
O lançamento oficial do (PGII) equivale a uma reformulação da iniciativa Reconstruir um Mundo Melhor (B3W, na sigla em inglês), apresentada na reunião anual do ano passado.
O PGII busca oferecer uma alternativa aos modelos de infraestrutura que vendem "armadilhas da dívida", esclareceu um funcionário dos EUA, segundo apuração do South China Morning Post.
Aeronaves F-16V da Força Aérea de Taiwan manobram durante um exercício na região sul do país asiático, 5 de janeiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 26.06.2022
Panorama internacional
China utilizará todos os meios, incluindo militares, para retomar controle de Taiwan, diz embaixador
Os EUA mobilizariam US$ 200 bilhões (R$ 1,048 trilhão) para a iniciativa nos próximos cinco anos "por meio de doações, financiamento federal e alavancagem de investimentos do setor privado", disse a Casa Branca, observando que os projetos se concentrariam em energia limpa, tecnologia de comunicação segura e sistemas de saúde.
Biden defende a construção de uma para conter a China tendo como pano de fundo as crescentes acusações dos EUA e de países europeus de que Pequim estava sobrecarregando participantes do Um Cinturão, Uma Rota com empréstimos que não poderiam ser pagos.
Lançada pessoalmente pelo presidente chinês Xi Jinping em 2013, a iniciativa expandiu a influência de Pequim globalmente por meio da construção de portos, pontes e infraestrutura nos países em desenvolvimento.
Somente na América Latina, por exemplo, Pequim aumentou drasticamente os gastos e projetos de infraestrutura, sendo que o comércio entre China e América Latina ultrapassou US$ 400 bilhões (R$ 2,097 trilhões) em 2021.
Bandeiras russas e chinesas em uma mesa antes de uma cerimônia de assinatura no Grande Salão do Povo em Pequim (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 24.06.2022
Panorama internacional
China e Rússia vão expandir contratos em moedas nacionais, diz diplomata
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала