EUA recebem míssil interceptador com 3 anos de atraso e muitos problemas, informa mídia

© AFP 2022 / Clayton Wear / Força Aérea dos EUAEsta foto da Força Aérea dos EUA mostra um míssil balístico intercontinental Minuteman III desarmado sendo lançado durante um teste de desenvolvimento, em 5 de fevereiro de 2020, na Base da Força Aérea de Vandenberg, Califórnia
Esta foto da Força Aérea dos EUA mostra um míssil balístico intercontinental Minuteman III desarmado sendo lançado durante um teste de desenvolvimento, em 5 de fevereiro de 2020, na Base da Força Aérea de Vandenberg, Califórnia - Sputnik Brasil, 1920, 17.06.2022
Nos siga noTelegram
A Boeing entregou um míssil interceptador para o sistema antimíssil americano baseado no solo com três anos de atraso, depois de superar problemas de qualidade de empresas subcontratadas.
De acordo com a Bloomberg, o míssil, entregue em dezembro de 2021, enfrentou problemas na produção, pois a empresa contratada manipulou incorretamente um componente importante da aviônica.
Após resolver a questão da aviônica, a empresa enfrentou outros problemas de qualidade com um fornecedor de uma peça de conversão eletrônica de energia, necessária para construção destes equipamentos, fazendo com que os primeiros lotes fossem rejeitados.
Isso é um exemplo de como a Agência de Defesa contra Mísseis dos EUA tem dificuldades em atingir plenamente suas metas anuais de aquisição.
Sistema de Armas a Laser (LaWS) é testado a bordo do navio anfíbio USS Ponce em uma demonstração operacional durante sua implantação no golfo do México - Sputnik Brasil, 1920, 18.04.2022
Marinha dos EUA realiza teste histórico e abate míssil de cruzeiro usando arma a laser (FOTO)
Tanto que esta dificuldade fez com que a agência norte-americana cancelasse diversos esforços críticos devido aos custos e desafios técnicos.
A Boeing é a principal fabricante do sistema de defesa antimíssil e integradora das ogivas construídas pela Raytheon Technologies Corp. A Northrop Grumman fornece o veículo impulsionador para o que é agora um sistema de 44 interceptores no Alasca e na Califórnia destinado a destruir mísseis balísticos intercontinentais.
A Bloomberg ainda destaca que estes esforços dizem respeito a tecnologias que apresentam riscos consideráveis, mas que nenhuma medida necessária para reduzir os riscos e garantir uma supervisão adequada do Departamento de Defesa foram tomadas.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала