Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Relatório: submarino dos EUA podia ter evitado acidente no mar do Sul da China em outubro de 2021

CC BY 2.0 / Amanda R. Gray, especialista em comunicação de massa de 1ª classe / Sunmarino nuclear USS Connecticut (SSN-22) (imagem referencial)
Sunmarino nuclear USS Connecticut (SSN-22) (imagem referencial) - Sputnik Brasil, 1920, 25.05.2022
Nos siga noTelegram
Foi desclassificado e publicado um documento que investigou a colisão do submarino USS Connecticut dos EUA com uma montanha subaquática em outubro de 2021, elaborado no final do mesmo mês.
O acidente que fez o submarino USS Connecticut dos EUA colidir com uma montanha subaquática no mar do Sul da China em 2 de outubro de 2021 era evitável, revelou um relatório da Frota do Pacífico norte-americana publicado na segunda-feira (23).
"Uma tomada de decisões prudente e a adesão aos procedimentos exigidos em qualquer uma dessas três áreas poderiam ter evitado a imobilização", determinou Christopher Cavanaugh, diretor da sede marítima da frota, no documento, escrito no final de outubro de 2021 e desclassificado em abril de 2022.
Como foi detalhado, o submarino estava operando "em uma área mal pesquisada em águas internacionais" no momento da colisão, e a equipe de revisão de navegação do barco "não conseguiu identificar e marcar corretamente pelo menos dez perigos cartografados para a navegação nas proximidades do solo" antes de tentar atravessar a área.
"A equipe de revisão de navegação, incluindo o CO [oficial comandante], avaliou incorretamente que Connecticut estaria operando em um ambiente de mar aberto. Eles deveriam ter reconhecido que o navio estaria em águas restritas com base na trilha planejada passando perto de vários perigos de navegação. Se o tivessem feito, teria sido destacado um grupo de pilotos modificado com observadores adicionais focados na segurança da navegação", apontou a investigação.
Os autores do relatório explicaram que o oficial do convés estava preocupado com outros perigos no momento da colisão, tais como águas mais rasas do que o esperado.
Submarino de ataque rápido norte-americano USS Connecticut, de classe Seawolf, na base naval Kitsap-Bremerton, Washington, 27 de maio de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 02.11.2021
EUA revelam com que objeto colidiu submarino nuclear no Indo-Pacífico
O relatório também revela que, após a colisão, a tripulação teve que combater problemas da água entrando e um incêndio elétrico provocado pela bomba d'água, que estava tentando remover a água. O incêndio foi rapidamente extinto após perto de 55.000 litros de água, ou uma grande piscina no quintal, terem sido bombeados para fora da embarcação.
O texto recomenda punições não judiciais para o comandante do submarino Cameron Aljilani; Patrick Cashin, oficial executivo e tenente-coronel; e também a vários marinheiros não nomeados que estavam de serviço no momento do acidente, além de "aconselhamento administrativo" para Cory Rogers, chefe técnico de sonar. Os três oficiais nomeados foram demitidos pela Marinha em novembro, de acordo com o USNI News.
"Nenhuma ação ou inação única causou este contratempo, mas ele era evitável. Resultou de um acúmulo de erros e omissões no planejamento da navegação, execução da equipe de vigilância e gestão de riscos", resumiu Cavanaugh.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала