Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

México pede aos EUA o fim da OEA e a criação de uma nova organização para as Américas

© AP Photo / Eduardo VerdugoAndrés Manuel López Obrador toma posse como presidente do México, 1º de dezembro de 2018 (foto de arquivo)
Andrés Manuel López Obrador toma posse como presidente do México, 1º de dezembro de 2018 (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 18.05.2022
Nos siga noTelegram
Os países do continente americano devem lançar as bases para uma nova relação multilateral que vá além do modelo da Organização dos Estados Americanos (OEA) e busque um vínculo como o da União Europeia, afirmou o governo do México.
O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, conversou nesta quarta-feira (18) com o assessor especial do presidente Joe Biden para a Cúpula das Américas Chris Dodd.
Durante o encontro ele propôs que os países se unissem para liderar a América em uma nova dinâmica de colaboração internacional.
As informações foram confirmadas nas redes sociais do ministro das Relações Exteriores do México, Marcelo Ebrard.
Segundo ele, Obrador "propôs que o continente americano caminhasse" para uma espécie de bloco multilateral com características semelhantes às da União Europeia.
A OEA foi acusada ao longo de sua história por diferentes atores políticos de defender os interesses de Washington sobre as soberanias dos países que a compõem.
Andrés Manuel López Obrador, presidente mexicano, durante discurso sobre a economia na Cidade do México, México, 12 de abril de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 10.05.2022
Panorama internacional
Presidente do México revela condição para participar da Cúpula das Américas, nos EUA
Nos últimos anos, a organização foi acusada de assumir posições de franca hostilidade, principalmente contra os governos de Nicolás Maduro, na Venezuela, e Daniel Ortega, na Nicarágua.
Além disso, há acusações de envolvimento no golpe de Estado perpetrado contra Evo Morales em novembro de 2019, quando o boliviano foi forçado a renunciar à presidência do país sul-americano e se exilar no México.
Durante a reunião da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC) realizada em setembro de 2021 na Cidade do México o governo mexicano levantou a possibilidade de superação da OEA enquanto espaço de comunicação regional.
A Cúpula das Américas, a ser realizada em junho em Los Angeles, na Califórnia, também gerou tensões entre México, Bolívia, Guatemala, Brasil e Estados Unidos.
Washington se tornou alvo de críticas por se recusar a convidar Nicarágua, Cuba e Venezuela por considerá-los governos autoritários e antidemocráticos.
Vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, e o presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, chegando para uma reunião bilateral no Palácio Nacional, na Cidade do México, 8 de junho de 2021. - Sputnik Brasil, 1920, 04.05.2022
Panorama internacional
Plano de água limpa de Biden pode acabar envenenando o ar no México, afirma estudo
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала