- Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Reajuste de 5% concedido por Bolsonaro a servidores indigna PF: 'Quebra desleal de compromisso'

© Marcos Corrêa / Palácio do Planalto / CC BY 2.0Visita do presidente, Jair Bolsonaro, ao Posto da Polícia Rodoviária Federal - PRF (foto de arquivo)
Visita do presidente, Jair Bolsonaro, ao Posto da Polícia Rodoviária Federal - PRF (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 14.04.2022
Nos siga noTelegram
Para corporação, valor do aumento foi uma "quebra desleal do compromisso", a qual será sentida "ainda mais depois das diversas perdas sofridas pelos policiais federais durante este governo".
Hoje (14), o presidente, Jair Bolsonaro (PL), decidiu conceder 5% de reajuste para todos os servidores públicos federais a partir de julho. O custo para oferecer esse aumento para todo o funcionalismo será de R$ 6,3 bilhões em 2022, segundo o UOL.
Entretanto, a Polícia Federal, através da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), demonstrou que não gostou do valor acertado e reagiu negativamente ao aumento. De acordo com a mídia, a instituição considerou a porcentagem adicionada uma "quebra desleal de compromisso".
Na visão de representantes de sindicatos e associações, o ajuste não repõe as perdas inflacionárias dos últimos anos.
"A ADPF manifesta sua total indignação e repúdio à notícia de que o Governo Federal não cumprirá com o compromisso firmado pelo presidente da República de promover a reestruturação das forças policiais da União. [...] Se a informação se confirmar, haverá uma quebra desleal do compromisso que será sentida ainda mais depois das diversas perdas sofridas pelos policiais federais durante este governo, que sempre teve entre suas bandeiras a segurança pública", diz a nota enviada pela associação citada pela mídia.
O portal relata que antes de bater o martelo, Bolsonaro se reuniu na tarde de ontem (13), no Palácio do Planalto, com o ministro da Economia, Paulo Guedes.
A equipe econômica sugeriu que o dinheiro para compensar o reajuste aos servidores venha de cortes em emendas de parlamentares chamadas de bancada (RP2), destinadas a vários ministérios, cujo pagamento não é obrigatório e são mais fáceis politicamente de "enxugar" do que as vinculadas ao orçamento secreto (RP9).
O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, fala durante uma cerimônia para comemorar o Dia Internacional Anticorrupção 2021 no Palácio do Planalto em Brasília, Brasil, 9 de dezembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 11.01.2022
Notícias do Brasil
Bolsonaro afirma que 'parlamentar está bem atendido' em seu governo através do orçamento secreto
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала