Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Zelensky defende batalhão neonazista Azov em entrevista à Fox: 'São o que são'

© REUTERS / Assessoria da Presidência da UcrâniaPresidente ucraniano, Vladimir Zelensky, durante coletiva de imprensa com mídia estrangeira em Kiev, Ucrânia, 12 de março de 2022
Presidente ucraniano, Vladimir Zelensky, durante coletiva de imprensa com mídia estrangeira em Kiev, Ucrânia, 12 de março de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 04.04.2022
Nos siga noTelegram
Em uma entrevista à Fox News em 1º de abril, Vladimir Zelensky foi questionado sobre o batalhão neonazista Azov e sua presença nas forças armadas do país.
Por muito tempo, a mídia ocidental tentou defender Zelensky das acusações de que seu governo está intimamente ligado às forças neonazistas, argumentando que ele "é um homem judeu de língua russa".
Na última sexta-feira (1º), após uma entrevista de Zelensky à Fox News, ficou mais difícil sustentar que não existe uma relação entre os grupos como o Batalhão Azov, fascistas e cúmplices em crimes contra a humanidade, e o governo ucraniano.
Vladimir Zelensky foi objetivamente questionado pelo apresentador Bret Baier: "O que os americanos devem saber sobre essa unidade [Regimento Azov] e as acusações que a cercam?".
Zelensky sobre o Batalhão Azov: "Eles são o que são. Eles estavam defendendo nosso país. Eles são componentes das forças armadas ucranianas".
Falando pela primeira vez abertamente sobre o assunto, Zelensky declarou que "eles são o que são, estavam defendendo nosso país".

"Mais tarde, quero explicar a você, tudo, todos os componentes desses batalhões voluntários que foram incorporados aos militares da Ucrânia. Eles são um componente do Exército ucraniano", respondeu Zelensky.

O presidente da Ucrânia ainda acrescentou que, "em 2014, houve situações em que nossos voluntários foram cercados, e alguns deles [os nazistas] violaram leis, leis da Ucrânia, e eles realmente foram levados ao tribunal e receberam sentenças de prisão".
No entanto, apesar da resposta esclarecedora, a Fox News cortou esta parte do vídeo que foi postado em sua conta oficial do YouTube. A versão completa da entrevista pode ser acessada no canal do YouTube de Bret Baier.
O Batalhão Azov foi formado em maio de 2014 por grupos neonazistas em Berdyansk, depois que o Ministro dos Assuntos Internos, Arsen Avakov, autorizou a criação de unidades paramilitares para combater separatistas de língua russa na Ucrânia, principalmente nas repúblicas populares de Donetsk e Lugansk.
Soldados do batalhão Azov ostentando o símbolo neonazista do Wolfsangel - Sputnik Brasil, 1920, 30.03.2022
Panorama internacional
'Maioria dos ucranianos é nacionalista', revela comandante do Batalhão Azov à FN
Na época, em meio aos protestos e tentativas do governo de reduzir o status do russo como língua nacional da Ucrânia, o Batalhão Azov ganhou fama.
Com o tempo, tornou-se um refúgio para neonazistas afiliados ao Pravy Sektor (Setor de Direita) e outras formações políticas que haviam ajudado no golpe de Estado de fevereiro de 2014, que foi apoiado pelos Estados Unidos.
Os crimes dos batalhões voluntários neonazistas são amplamente documentados, incluindo um relatório sobre o Batalhão Azov pelo Escritório das Nações Unidas do Alto Comissariado dos Direitos Humanos e um sobre o Batalhão Aidar pela Anistia Internacional.
Embora a Rússia tenha denunciado diversas vezes o caráter nazista dos militantes, a mídia ocidental ignora as acusações e os relatórios das entidades multilaterais.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала