Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

EUA posicionam grupo de porta-aviões para possível criação de zona de exclusão aérea na Ucrânia

© AP Photo / Fabrizio Bensch/PoolPorta-aviões USS Nimitz Harry S. Truman
Porta-aviões USS Nimitz Harry S. Truman - Sputnik Brasil, 1920, 22.03.2022
Nos siga noTelegram
A Marinha dos EUA implantou um grupo de ataque de porta-aviões no Mediterrâneo para criar uma zona de exclusão aérea na Ucrânia, caso Biden dê essa ordem.
Os EUA operam 11 grupos de ataque de porta-aviões, os implantando frequentemente em todo o mundo ao longo de décadas em uma demonstração de força contra nações menores e militarmente mais fracas.
O grupo de ataque do porta-aviões USS Truman foi enviado ao Mediterrâneo, com o secretário da Marinha, Carlos Del Toro, afirmando que sua missão inclui "dissuadir" a Rússia e implementar uma potencial zona de exclusão aérea sobre a Ucrânia, caso o presidente americano, Joe Biden, ordene seu estabelecimento.

"Existem muitos navios e submarinos russos no Mediterrâneo atualmente, e é por isso que é importante para a OTAN ter uma presença igual, para dissuadi-los. A única coisa que Putin entende é a força", afirmou Del Toro ao jornal Politico.

"O papel do Truman, com outros aliados, é dissuadir os russos de novas agressões e estar em constante espera por ordens que possam ser dadas pelo nosso presidente ou por outros líderes ao redor do mundo para a proteção da Ucrânia e do povo ucraniano", adicionou.
Soldados poloneses e norte-americanos durante exercícios conjuntos Anakonda 16 perto de Torun, Polônia, junho de 2016 - Sputnik Brasil, 1920, 22.03.2022
Panorama internacional
EUA sugerem que outros países da OTAN podem enviar tropas à Ucrânia
O USS Truman tem sido usado em guerras de agressão dos EUA, com suas aeronaves voando mais de 1.200 missões de combate durante a invasão do Iraque em 2003, e auxiliando as forças da coalizão durante a luta contra o Talibã (organização sob sanções da ONU por atividade terrorista) no Afeganistão na década de 2010.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала