Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

União Europeia estuda usar ativos confiscados de cidadãos russos para financiar Ucrânia

© Sputnik / Stringer / Abrir o banco de imagensMilitares ucranianos comparecendo à cerimônia de abertura das manobras Rapid Trident 2017.
Militares ucranianos comparecendo à cerimônia de abertura das manobras Rapid Trident 2017. - Sputnik Brasil, 1920, 18.03.2022
Nos siga noTelegram
Autoridades da União Europeia (UE) estão avaliando a possibilidade de usar ativos confiscados de cidadãos russos para financiar a Ucrânia, segundo informações da agência Bloomberg.

"Neste momento, os ativos estão apenas congelados", disse Eric Mamer, porta-voz da presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, quando solicitado a comentar, conforme noticiou a Bloomberg. "A presidente não pediu que isso fosse explorado."

Desde o início da operação militar russa na Ucrânia, em 24 de fevereiro, a UE sancionou não apenas a Rússia e integrantes do Estado, como dezenas de empresários, incluindo alguns dos mais ricos do país.
Após a adoção das restrições, os Estados-membros europeus imobilizaram bens como iates, jatos particulares e propriedades. Somente a Itália congelou cerca de 780 milhões de euros (R$ 4,3 bilhões) em ativos, segundo o governo italiano, citado pela agência de notícias.
O bloco econômico anunciou, nesta sexta-feira (18), que criaria uma força-tarefa para compartilhar informações entre seus membros a fim de aprimorar a implementação das medidas.
De acordo com um comunicado divulgado pelo braço executivo da União Europeia para anunciar a iniciativa, a força-tarefa "pretende dar um passo além: coordenará as ações dos Estados-membros para apreender e, onde a lei nacional o exigir, confiscar bens dos oligarcas russos e belarussos".
O presidente dos EUA, Joe Biden, em conversa virtual com o presidente chinês, Xi Jinping, na Casa Branca em Washington, EUA, 18 de março de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 18.03.2022
Panorama internacional
Durante reunião virtual, Biden adverte Xi sobre 'consequências' se China fornecer apoio à Rússia
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала