Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Venezuela denuncia EUA por impedirem Caracas de pagar cota na ONU

© REUTERS / Leonardo Fernandez ViloriaFélix Plasencia, ministro das Relações Exteriores venezuelano, fala no ministério em Caracas, Venezuela, 19 de janeiro de 2022
Félix Plasencia, ministro das Relações Exteriores venezuelano, fala no ministério em Caracas, Venezuela, 19 de janeiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 25.01.2022
Nos siga noTelegram
O Ministério das Relações Exteriores da Venezuela atacou o "abuso unilateral de agências do governo dos EUA" por estarem impedindo a participação do país na Assembleia Geral da ONU.
Félix Plasencia, ministro das Relações Exteriores da Venezuela, se insurgiu contra as ações dos EUA, que diz estarem impedindo o país sul-americano de pagar sua cota anual na Organização das Nações Unidas (ONU) e assim de votar em futuras sessões.
A Venezuela denuncia que nosso direito de participar ativamente do sistema das Nações Unidas foi vilmente violado, em consequência do abuso unilateral de agências do governo dos EUA.
As autoridades venezuelanas asseguram que isso constitui uma agressão que atenta contra a soberania do país, e solicitaram o apoio de António Guterres, secretário-geral da ONU.
"A tentativa de limitar o exercício dos direitos e privilégios da Venezuela na ONU viola flagrantemente o direito internacional e sua própria Carta Fundamental. Solicitamos ao secretário-geral e a todo o sistema da ONU seu total apoio", exortou o ministro.
Em 12 de janeiro oito Estados-membros da Assembleia Geral da ONU, incluindo países sancionados pelos EUA, como Irã, Sudão e Venezuela, perderam seu direito de voto nas sessões seguintes por impossibilidade de pagarem sua filiação na organização. Nos últimos dias o Irã, Sudão e outros pagaram os valores em falta, mas a Venezuela e Papua-Nova Guiné continuaram sem o fazer, disseram as Nações Unidas.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала