Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Rússia não tolerará que Kiev e países ocidentais encenem provocação em Donbass, diz diplomata

© AFP 2022 / Forças Armadas da Ucrânia / HandoutForças Armadas da Ucrânia em exercícios de tanques em Donbass, 18 de abril de 2021
Forças Armadas da Ucrânia em exercícios de tanques em Donbass, 18 de abril de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 23.01.2022
Nos siga noTelegram
Konstantin Gavrilov, chefe da delegação russa nas negociações em Viena, Áustria, condenou a "campanha iniciada no Ocidente" que fala repetidamente da possibilidade de a Rússia invadir a Ucrânia.
A Rússia não tolerará um ataque de Kiev e do Ocidente à região de Donbass, disse no domingo (23) Konstantin Gavrilov, chefe da delegação russa nas negociações sobre questões de segurança militar e controle de armamentos em Viena, Áustria.
"Foi tudo dito e avisado: não toleraremos quando atacarem nossos cidadãos. Foi dito claramente, foi expresso claramente em toda a mídia", comentou ele.
"Esta campanha, que foi iniciada no Ocidente, acusando a Rússia de todos os pecados, de que estamos prestes a invadir, e eles não param ante as afirmações do presidente, do ministro, do vice-ministro, de outros representantes russos, que não pretendemos [fazer isso], que não precisamos de uma guerra, mas precisamos de uma solução diplomática. Não excluo que eles possam encenar uma provocação, estão criando uma cobertura informacional para isso", afirmou Gavrilov.
Vista para o Kremlin, a Catedral de Pokrovsky e a ponte sobrevoando o Parque Zaryadye, em Moscou, Rússia - Sputnik Brasil, 1920, 22.01.2022
Panorama internacional
Moscou diz esperar provocações dos EUA e Ucrânia nas vésperas dos Jogos Olímpicos de Pequim
Gavrilov referiu que a Rússia é um dos garantes dos acordos de paz de Minsk, assinados originalmente em 2014, e "não permitirá que seus cidadãos sejam magoados, muito menos mortos" no conflito que decorre no leste da Ucrânia.
Em dezembro de 2021 Moscou publicou projetos de acordo que instam à não expansão da OTAN para leste, na proximidade das fronteiras da Rússia, sendo isso considerado uma ameaça à segurança do país. Para evitar tensões, o Kremlin propôs a não colocação de armas, mísseis, tropas ou realização de exercícios na proximidade das fronteiras dos dois lados.
As propostas russas foram analisadas em 10 de janeiro como parte do diálogo estratégico em Genebra, Suíça. Em seguida foi realizada uma reunião do Conselho OTAN-Rússia em Bruxelas, Bélgica, e consultas da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) em Viena, Áustria.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала