Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Países Bálticos aguardam aprovação dos EUA para enviar armas letais à Ucrânia, diz jornal

© Sputnik / Sergei Stepanov / Abrir o banco de imagensExercícios militares da OTAN Saber Strike 2016, na Estônia
Exercícios militares da OTAN Saber Strike 2016, na Estônia - Sputnik Brasil, 1920, 20.01.2022
Nos siga noTelegram
Estônia, Lituânia, Letônia aguardam aprovação dos EUA para enviar armas letais de fabricação norte-americano para a Ucrânia, a fim de impedir uma alegada invasão russa, informou nesta quarta-feira (19) o jornal Politico.
As três nações bálticas estão preparadas para entregar a Kiev armamentos como mísseis antitanque e terra-ar, informa a mídia citando funcionários dos respetivos países e autoridades familiarizadas com o assunto.
O senador Jim Risch, principal membro do Partido Republicano no Comitê de Relações Exteriores do Senado, disse à Politico que espera que a administração Biden aprove imediatamente a transferência de armas para a Ucrânia.
Os regulamentos de licença de exportação dos EUA exigem que os Países Bálticos primeiro peçam a aprovação do Departamento de Estado antes de transferirem as armas para a Ucrânia.
As três nações bálticas são membros da OTAN e têm apoiado o reforço da presença da Aliança em seus territórios. O Departamento de Estado se recusou a comentar o assunto e a Casa Branca também não revelou detalhes, diz o jornal.
Diversos países ocidentais e Kiev têm expressado preocupações sobre as supostas "ações agressivas" da Rússia perto da fronteira com a Ucrânia.
Marinha dos EUA participa de exercícios militares integrados às manobras multinacionais Sea Breeze 2021, perto de Kherson, Ucrânia, 2 de julho de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 17.01.2022
Panorama internacional
Lukashenko: Polônia e Países Bálticos colocam 30 mil soldados perto de Belarus e pedem apoio à OTAN
No entanto, Moscou nega as alegações e reitera que não tem qualquer intenção de atacar nenhum país. Além disso, a Rússia considera as acusações como um pretexto para implantar mais equipamento militar da OTAN perto das fronteiras russas.
Anteriormente, um grupo de senadores republicanos dos EUA apresentou um projeto de lei de apoio militar a Taiwan no valor de US$ 2 bilhões (cerca de R$ 11 bilhões) para evitar que a China "domine militarmente" a ilha.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала