Putin: todos os países devem ter acesso a vacinas, mas há protecionismo no G20

© Sputnik / Yevgeny Paulin / Abrir o banco de imagensVladimir Putin, presidente da Rússia, fala durante videoconferência do grupo G20 sobre questões da economia e da saúde mundiais
Vladimir Putin, presidente da Rússia, fala durante videoconferência do grupo G20 sobre questões da economia e da saúde mundiais - Sputnik Brasil, 1920, 30.10.2021
Nos siga noTelegram
Vladimir Putin, presidente da Rússia, exortou a acelerar a aprovação de vacinas de outros países, em vez de praticar protecionismo nessa questão. Ele também abordou a questão da cooperação mundial.
É necessário que o mundo resolva a questão do reconhecimento mútuo de vacinas de diferentes países, instou Vladimir Putin, presidente da Rússia, durante videoconferência no encontro do G20.
É também necessário criar mecanismos de atualização sistemática e rápida das vacinas em meio às constantes mutações do SARS-CoV-2, defende.
"Propomos aos ministros da Saúde dos países do G20 ponderar nos prazos mais curtos a questão do reconhecimento mútuo dos certificados de vacinação nacionais", declarou o líder russo.
"Queria chamar a atenção para o fato de que, apesar da decisão do G20, o acesso às vacinas e a outros recursos vitais continua a não estar disponível para todos os países necessitados. Isso acontece inclusive devido à concorrência, creio eu, desleal, ao protecionismo, ao fato de vários países, inclusive países do G20, não estarem preparados para reconhecer mutuamente as vacinas e os certificados de vacinação."
© AP Photo / Kirsty WigglesworthLíderes mundiais em foto de grupo no centro de conferências La Nuvola durante a cúpula do G20 em Roma, Itália, 30 de outubro de 2021
Líderes mundiais em foto de grupo no centro de conferências La Nuvola durante a cúpula do G20 em Roma, Itália, 30 de outubro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Líderes mundiais em foto de grupo no centro de conferências La Nuvola durante a cúpula do G20 em Roma, Itália, 30 de outubro de 2021
Putin acrescentou que "se coloca a questão urgente de a Organização Mundial da Saúde acelerar a questão da pré-qualificação de novas vacinas e medicamentos, ou seja, avaliar a qualidade de sua segurança e eficácia".
"Tenho a certeza de que, quanto mais rápido isso for feito, mais fácil será retomar a atividade empresarial mundial, inclusive a que sofreu mais, a atividade turística", sublinhou o presidente da Rússia.
Ele também abordou a questão da segurança energética e da estabilidade dos mercados globais de energia.
"A estabilidade dos mercados energéticos mundiais depende diretamente da responsabilidade de todos os seus participantes, tanto dos produtores como dos consumidores, considerando os interesses de longo prazo dos dois lados. A Rússia é a favor de uma discussão detalhada e pragmática, apenas com base em considerações econômicas", de acordo com Putin.
A Rússia defende a cooperação em todas as esferas sem discriminações, afirmou Vladimir Putin.
"A garantia de uma recuperação sólida e a longo prazo da economia global, do aumento do padrão de vida e do bem-estar da população, passa por assegurar as condições para uma cooperação não discriminatória, em pé de igualdade, de todos os países e povos. Entendemos que é esta a tarefa-chave do G20 como fórum das principais economias mundiais", apontou o presidente russo.
Na opinião do líder da Rússia, o país tem muitos pontos em comum com o G20 nas questões da saúde e do desenvolvimento econômico, acrescentando que, tendo em conta a profunda crise no ano passado devido à pandemia, as autoridades dos países do G20 e de outros países do mundo decidiram aumentar significativamente os déficits orçamentários, o que permitiu em grande parte iniciar a recuperação da economia mundial.
© REUTERS / Ralph OrlowskiSede do Banco Central Europeu em Frankfurt, Alemanha (imagem de arquivo)
Sede do Banco Central Europeu em Frankfurt, Alemanha (imagem de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Sede do Banco Central Europeu em Frankfurt, Alemanha (imagem de arquivo)
Ao mesmo tempo, medidas extraordinárias, que impliquem a compra de dívidas por bancos centrais, devem ser limitadas no tempo, acrescentou Putin. Segundo o presidente, medidas excessivas de estímulo fizeram aumentar os preços dos ativos financeiros, da energia, alimentos e resultaram em instabilidade geral.
"A manutenção destas medidas cria o risco de alta inflação global em uma perspectiva de médio prazo. Isso não só aumenta os riscos de a atividade empresarial baixar, mas também reforça e agrava a desigualdade", advertiu o líder russo.
"Por isso é importante não permitir o descontrole da espiral estagflacionária [combinação de estagnação econômica e inflação] e, em vez disso, procurar normalizar as políticas orçamentária e creditícia, aumentar a qualidade de gestão da estrutura da demanda na economia, definir as prioridades econômicas, principalmente com vista a ultrapassar os problemas da desigualdade e a aumentar o bem-estar dos cidadãos", comentou ele.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала