Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Extinção dos dinossauros: cientistas descobrem de onde veio asteroide que os matou

© Márcio L.Castro / Divulgação / Centro de Apoio a Pesquisa Paleontológica Dinossauro de pescoço longo mais antigo do mundo é achado no Brasil
Dinossauro de pescoço longo mais antigo do mundo é achado no Brasil - Sputnik Brasil, 1920, 11.08.2021
Nos siga no
Há 66 milhões de anos, um objeto de 9,6 quilômetros de diâmetro chocou com a Terra, desencadeando uma série de eventos cataclísmicos que resultaram na extinção em massa de dinossauros. Agora os cientistas dizem já saber de onde veio o asteroide.

O impacto foi causado por um gigantesco asteroide primitivo escuro, proveniente da faixa externa da cintura de asteroides do Sistema Solar, localizada entre Marte e Júpiter, segundo o novo estudo publicado na revista Icarus.

Essa região é o lar de asteroides escuros, rochas espaciais com uma composição química que as faz parecer mais escuras (refletindo pouca luz) em comparação com os outros tipos de asteroides.

"Eu suspeitava que a metade externa da cintura de asteroides, onde estão os asteroides primitivos escuros, poderia ser uma fonte importante dos impactos terrestres", disse o chefe do estudo, David Nesvorny.

Anteriormente, os pesquisadores encontraram pistas sobre a extinção de dinossauros na cratera de Chicxulub no México, de 145 quilômetros de diâmetro, deixada pela colisão do objeto. Os cientistas tentaram várias vezes descobrir a origem do asteroide que causou a cratera de impacto, mas não conseguiram.

Durante a nova pesquisa, os cientistas desenvolveram um modelo computacional para ver com que frequência os asteroides da cintura principal escapam em direção à Terra e se um deles poderia ter sido responsável pelo desaparecimento dos dinossauros.

© Foto / WikipediaCratera de Chicxulub no México
Extinção dos dinossauros: cientistas descobrem de onde veio asteroide que os matou - Sputnik Brasil, 1920, 11.08.2021
Cratera de Chicxulub no México

Simulando as centenas de milhões de anos, o modelo mostrou que forças térmicas e gravitacionais de planetas periodicamente jogam grandes asteroides para fora da cintura.

Em média, um asteroide de mais de 14 quilômetros de diâmetro que esteja na faixa externa do cinturão é jogado para fora, em rota de colisão com a Terra, uma vez a cada 250 milhões de anos, descobriram os cientistas.

Estes cálculos mostram que tal evento é cinco vezes mais comum do que se pensava anteriormente e consistente com a cratera de Chicxulub, formada há 66 milhões de anos, sendo a única conhecida feita por um asteroide tão grande nos últimos 250 milhões de anos.

Além disso, o modelo analisou a distribuição de asteroides escuros e claros no cinturão principal e revelou que metade dos asteroides expulsos eram condritos carbonáceos escuros, o que corresponde aos dados da cratera de Chicxulub.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала