06:48 26 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    161
    Nos siga no

    Apesar de não serem vistos como extremamente desenvolvidos ou inteligentes, os cérebros das aves poderão ter sido, há 66 milhões de anos, o fator principal que garantiu sua sobrevivência até os dias de hoje.

    A pesquisa conduzida em um fóssil de ave descoberto pela Universidade do Texas, em Austin, revelou que o formato único de seu cérebro poderia ser a razão pela qual os antepassados dos pássaros atuais sobreviveram à extinção em massa sofrida pelos dinossauros, de acordo com o portal Phys.org.

    "Os pássaros atuais possuem cérebros mais complexos do que quaisquer outros animais conhecidos, exceto os mamíferos", disse Christopher Torres, pesquisador principal responsável pelo estudo, cujos resultados foram publicados no jornal Science Advances. "Este novo fóssil nos permite, finalmente, testar a ideia de que esses cérebros [de aves] desempenharam um papel importante em sua sobrevivência", citado pela mídia.
    Crânio intacto fossilizado do Ichthyornis, antepassado das aves atuais
    Crânio intacto fossilizado do Ichthyornis, antepassado das aves atuais

    O fóssil encontrado tem 70 milhões de anos e possui um crânio quase completo, o que é um achado raro, mas importante para uma melhor comparação com os crânios das aves atuais. O achado corresponde a um novo espécime de uma ave chamada Ichthyornis, que viveu no território do atual estado norte-americano do Kansas, durante o período Cretáceo.

    O Ichthyornis possui uma mistura de características de dois tipos de dinossauros: os que eram parecidos com aves e os que não eram. O fóssil tinha mandíbulas com dentes, mas também tinha bico. O crânio intacto permitiu que Torres e seus colaboradores o estudassem mais em detalhe.

    Os cientistas descobriram que o cérebro do Ichthyornis tinha mais em comum com os dinossauros do que com os pássaros. Em particular, os hemisférios cerebrais - onde ocorrem as funções cognitivas superiores - são muito maiores nos pássaros atuais do que no Ichthyornis. Esse padrão sugere que essas funções poderiam estar conectadas à sobrevivência das aves durante a extinção em massa.

    "Se uma característica do cérebro afetou a sobrevivência, esperaríamos que ela estivesse presente nos sobreviventes, mas ausente nas vítimas. É exatamente isso que observamos aqui", disse Torres, citado pelo Phys.org.

    A busca por crânios de aves antigas relacionadas com dinossauros tem sido um desafio para os paleontólogos por vários séculos, uma vez que os ossos das aves são demasiado frágeis e, por isso, é difícil encontrar fósseis em boas condições. Contudo, agora, o Ichthyornis poderá fornecer pistas importantes para entender a história de sobrevivência das primeiras aves até hoje.

    Mais:

    Descobrem no México nova espécie de peixe da época dos dinossauros (VÍDEO)
    Estudo de rochas terrestres aponta para grande possibilidade de haver água escondida em Marte
    Dinossauro paulista: fóssil de cerca de 65 milhões de anos paralisa obras de rodovia (FOTO)
    Tags:
    aves, dinossauro, paleontologia, fóssil, pesquisa, ciência
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar