'Responderemos de forma dura', diz China por quebra do acordo Um Cinturão, Uma Rota pela Austrália

© AP Photo / Mark SchiefelbeinO porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, fala durante uma reunião diária no Ministério das Relações Exteriores em Pequim. Foto de arquivo
O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, fala durante uma reunião diária no Ministério das Relações Exteriores em Pequim. Foto de arquivo - Sputnik Brasil, 1920, 22.04.2021
Nos siga noTelegram
China reage à quebra do acordo entre estado australiano de Victoria e Pequim chamando de "irracional", e adverte Camberra a reconsiderar o passo dado para não sofrer consequências.

Nesta quinta-feira (22), o Ministério das Relações Exteriores da China instou a Austrália a revogar o acordo que rompeu na quarta-feira (21) entre o estado da Victoria e a China na iniciativa Um Cinturão, Uma Rota. O governo chinês afirmou que "responderá de forma dura", segundo o South China Morning Post.

"A China apresentou rígidas considerações ao lado australiano, pedindo-lhe que revogue a decisão, ou fará com que revidemos de maneira dura. Expressamos forte insatisfação e firme oposição a isso, e nos reservamos ao direito de responder", disse o porta-voz do ministério chinês, Wang Wenbin, citado pela mídia.

Wang também rejeitou o fato de que os acordos seriam uma nova política externa da Austrália "não visando nenhum país" e acredita que Camberra apresenta uma postura que não condiz com uma real intenção em desenvolver laços bilaterais, como já expressou outras vezes, segundo o Global Times.

"A Austrália diz que quer abrir cooperação com a China e aumentar nosso diálogo de alto nível, mas diz uma coisa e faz outra. Eles revisaram recentemente mais de 1.000 negócios e decidiram revogar quatro contratos. Destes, dois são relacionados à China", disse Wang.

Para o porta-voz a decisão é um "retrocesso" e "irracional" e ajuda a deteriorar ainda mais a já degradada relação entre os dois países, segundo a mídia.

© Foto / Embaixada da China na AustráliaO premiê do estado da Victoria, Daniel Andrews, e o embaixador da China na Austrália, Cheng Jingye, em 2018, quando assinaram a parceria na iniciativa Uma Cinturão, Uma Rota entre a China e a Austrália (foto de arquivo)
'Responderemos de forma dura', diz China por quebra do acordo Um Cinturão, Uma Rota pela Austrália - Sputnik Brasil, 1920, 22.04.2021
O premiê do estado da Victoria, Daniel Andrews, e o embaixador da China na Austrália, Cheng Jingye, em 2018, quando assinaram a parceria na iniciativa Uma Cinturão, Uma Rota entre a China e a Austrália (foto de arquivo)

Na quarta-feira (22), ao anunciar a quebra do pacto, a ministra das Relações Exteriores da Austrália, Marise Payne, disse que os dois acordos entre o estado australiano da Victoria e Pequim foram rompidos por serem "inconsistentes com a política externa australiana ou adversos às nossas relações externas".

De acordo com o editorial especial do Global Times sobre o assunto, o governo australiano "não só está passando por cima de sua cabeça para provocar a China, mas também deixando de lado sua jurisdição estadual por seus próprios interesses políticos, o que poderia ser um golpe sério para as economias federais e locais", declarou a mídia chinesa.

Em dezembro de 2020, o Parlamento da Austrália concedeu poder de veto sobre negócios estrangeiros feitos por estados australianos, e a quebra do acordo com a China realizada ontem (22) entraria dentro da nova legislação australiana.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала