COVID-19: EMA encontra 'possível ligação' entre vacina da Johnson & Johnson e coágulos sanguíneos

© REUTERS / Lucy NicholsonUma enfermeira tira de um frasco a vacina contra o coronavírus da Johnson & Johnson, 25 de março de 2021
Uma enfermeira tira de um frasco a vacina contra o coronavírus da Johnson & Johnson, 25 de março de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 20.04.2021
Nos siga noTelegram
A reguladora de medicamentos europeia encontrou uma "possível ligação" entre a vacina contra a COVID-19 da Johnson & Johnson e raros casos de coágulos sanguíneos.

As suspeitas surgiram quando casos de coágulos sanguíneos foram detectados em adultos no Reino Unido, nesta terça-feira (20), após receberem dose da vacina da Johnson & Johnson, informa a agência Reuters.

Os coágulos sanguíneos, possivelmente relacionados ao medicamento contra a COVID-19, apareceram em lugares peculiares do corpo, especialmente nas veias que ajudam a drenar o sangue do cérebro. De igual modo, os pacientes apresentaram um baixo número de plaquetas no sangue, algo que está mais relacionado com hemorragias e não com coagulação sanguínea, de acordo com a agência AP.

Diante dos relatos dos casos, a Agência de Medicamentos Europeia (EMA, na sigla em inglês) advertiu que coagulação sanguínea deveria, então, ser adicionada como efeito secundário da vacina da Johnson & Johnson.

Contudo, a reguladora acrescenta que o risco de coagulação sanguínea é um efeito secundário raro, sendo os benefícios da inoculação com imunizante da Johnson & Johnson superiores às suas desvantagens.

Porém, com a emergência de novos casos de coágulos sanguíneos, também detectados em pacientes de outros países – entre os quais Noruega, Reino Unido, Países Baixos e Alemanha – que receberam a vacina contra a COVID-19 da AstraZeneca, o ceticismo contra os medicamentos poderia crescer ainda mais, dificultando a árdua luta contra a pandemia.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала