Trump supostamente admite ter 'alguma culpa' pela invasão do Capitólio

© REUTERS / Shannon StapletonManifestantes enfrentam a Polícia do Capitólio durante protestos para contestar a certificação dos resultados das eleições presidenciais de 2020 dos Estados Unidos pelo Congresso, em Washington, EUA, 6 de janeiro de 2021
Manifestantes enfrentam a Polícia do Capitólio durante protestos para contestar a certificação dos resultados das eleições presidenciais de 2020 dos Estados Unidos pelo Congresso, em Washington, EUA, 6 de janeiro de 2021 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Na semana passada, o Capitólio americano foi invadido por multidão de trumpistas no momento da validação dos votos do Colégio Eleitoral. Semanas antes, Trump teria promovido invasão na sua conta no Twitter, agora bloqueada.

O presidente norte-americano, Donald Trump, reconheceu ter "alguma culpa" pelo que se passou no Capitólio na semana passada, conforme reportou o canal Fox News, na segunda-feira (11), citando uma fonte familiar com o assunto. O presidente ainda em exercício teria mencionado isso em conversa com o líder republicano da Câmara dos EUA, Kevin McCarthy.

McCarthy teria concordado que Trump foi o culpado pelo caos de quarta-feira (6) no Capitólio, quando trumpistas invadiram as salas do Congresso enquanto os votos da eleição presidencial eram de novo contados. Cerca de cinco pessoas acabaram morrendo, sendo uma delas um policial, de acordo com o The New York Times.

Após tamanho acontecimento, a conta no Twitter de Donald Trump foi bloqueada, pois o presidente foi amplamente acusado de incitar à violência.

Antes da tomada do Capitólio, Trump teria passado semanas promovendo o que tomaria lugar em 6 de janeiro, justificando que os resultados eleitorais não eram mais do que fraude e, por esse motivo, "nunca concederia" vitória ao democrata Joe Biden.

© AFP 2022 / Roberto SchmidtConfronto entre policiais e manifestantes em frente ao Capitólio norte-americano
Trump supostamente admite ter 'alguma culpa' pela invasão do Capitólio - Sputnik Brasil
Confronto entre policiais e manifestantes em frente ao Capitólio norte-americano

Agora, as declarações de Trump são vistas pelos democratas como "incitamento à violência", pelo que avançarão com uma resolução de impeachment, na esperança de removerem Trump da Casa Branca, antes de Joe Biden tomar posse em 20 de janeiro.

"Em sua conduta enquanto presidente dos Estados Unidos – e em violação de seu juramento constitucional de executar fielmente o cargo de presidente dos Estados Unidos e, da melhor maneira possível, preservar, proteger e defender a Constituição dos Estados Unidos, e em violação de seu dever constitucional de zelar para que as leis sejam fielmente executadas, Donald John Trump se envolveu em altos crimes e contravenções ao incitar a violência contra o governo dos Estados Unidos", diz o artigo do impeachment.

Após o imenso e violento protesto que atingiu gravemente o Capitólio, Trump compartilhou um vídeo no qual assegurava uma transição de poder pacífica, mesmo sem aceitar o resultado das eleições.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала