- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Fiocruz: vacina da AstraZeneca começará a ser entregue em fevereiro no Brasil

© Folhapress / Rafael AndradeFuncionário trabalha em laboratório da Biomanguinhos, na Fundação Oswaldo Cruz, em Manguinhos, no Rio de Janeiro (arquivo)
Funcionário trabalha em laboratório da Biomanguinhos, na Fundação Oswaldo Cruz, em Manguinhos, no Rio de Janeiro (arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A presidente da Fiocruz disse hoje (22) em uma audiência realizada pela Comissão Externa da Câmara dos Deputados que a vacina da AstraZeneca contra a COVID-19 começará a ser entregue ao governo brasileiro a partir de 8 de fevereiro.

Durante uma audiência sobre o combate à COVID-19 realizada nesta terça-feira (22) por iniciativa da Comissão Externa da Câmara dos Deputados, Nísia Trindade, que preside a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) desde janeiro de 2017, afirmou que serão entregues um milhão de doses ao Programa Nacional de Imunização (PNI) entre 8 e 12 de fevereiro de 2021, e outro milhão na semana seguinte.

"A grande angústia da nossa sociedade é com relação ao início da vacinação. Então, vou só informar a todos que, no caso da Fiocruz, nós estaremos recebendo ingrediente farmacêutico ativo para o início da produção no mês de janeiro", disse Nísia Trindade, segundo o portal G1.

A presidente da Fiocruz acrescentou que a meta do instituto é produzir 700 mil doses por dia a partir da terceira semana de fevereiro, mas ressaltou que ela ainda precisa ser certificada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e também necessita do próprio registro, que caberá à AstraZeneca entrar com o pedido. Apenas a partir desse processo que as vacinas começarão a ser entregues ao Programa Nacional de Imunização.

O imunizante está sendo desenvolvido pela farmacêutica AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford, no Reino Unido. De acordo com o contrato assinado pelo governo brasileiro, o país receberá o "ingrediente farmacêutico ativo" (IFA) para processar e envasar as doses na fábrica de vacinas Biomanguinhos, da Fiocruz.

A audiência da Comissão Externa da Câmara dos Deputados também contou com uma breve participação do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. No último dia 17, o ministro chegou a anunciar que o governo receberia 24,7 milhões de vacinas contra a COVID-19 ainda no mês de janeiro, das quais 15 milhões de doses corresponderiam ao imunizante da AstraZeneca.

Hoje (22), Pazuello disse que o país "está caminhando forte para poder ter vacinas de várias matizes" e entregar as doses "o mais rápido possível".

"Estamos nos preparando para iniciar 2021 com a vacina. Se Deus quiser, assim que registrada pela Anvisa, [...] nós vamos vacinar a nossa população como um todo", afirmou Pazuello, segundo o G1.

De acordo com o ministro da Saúde, a previsão é que a vacinação comece no final de janeiro, "na melhor hipótese", e em meados ou no final de fevereiro, "na pior hipótese".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала