Maduro diz que principal refinaria da Venezuela sofreu ataque terrorista com 'poderosa arma'

© Sputnik / Carolina Cabral / Abrir o banco de imagensNicolás Maduro, presidente da Venezuela
Nicolás Maduro, presidente da Venezuela - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Uma explosão atingiu uma unidade de destilação da Amuay, a maior refinaria da Venezuela, na última terça-feira (27). O presidente do país, Nicolás Maduro, atribuiu hoje (28) o incidente a um suposto atentado contra a companhia.

De acordo com o presidente venezuelano, a refinaria foi atacada com uma arma que derrubou "uma torre de espessura superior a um tanque de guerra".

Em entrevista coletiva nesta quarta-feira (28), Maduro instruiu sua equipe de governo a revelar as evidências do suposto ataque terrorista contra a refinaria de Amuay.

"A Venezuela está enfrentando situações de complô, conspiração permanente, contra nossa vida, contra nossa indústria estratégica, contra o serviço elétrico, as refinarias e a indústria petrolífera", disse.

Presidente Nicolás Maduro denuncia um atentado terrorista contra a principal refinaria do país, Amuay, no estado de Falcón. Ele garante que dois estrangeiros detidos em Zulia pretendiam matar líderes sociais.

Além disso, Nicolás Maduro acusou o governo dos Estados Unidos de estar por trás das conspirações contra a Venezuela, em cumplicidade com a Europa e outros países.

Em setembro, o governo venezuelano também denunciou supostos planos conspiratórios contra as instalações de petróleo. As acusações resultaram na prisão de dois cidadãos norte-americanos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала