China proíbe entrada de navios militares e veta ONGs dos EUA por 'interferência' em Hong Kong

© AP Photo / Ng Han GuanManifestante em Hong Kong envolto na bandeira dos EUA, em 1º de dezembro de 2019
Manifestante em Hong Kong envolto na bandeira dos EUA, em 1º de dezembro de 2019 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Nesta segunda-feira (02), a China proibiu o acesso de embarcações militares dos EUA a Hong Kong e impôs sanções a ONGs norte-americanas acusadas de encorajar manifestantes a cometer atos de violência.

As medidas são uma resposta à nova legislação norte-americana, aprovada na semana passada, que apoia aos protestos em Hong Kong e ameaça a China com sanções econômicas.

"Conclamamos os EUA a corrigirem os seus erros e a deixarem de interferir em nossos assuntos internos. Se necessário, a China tomará medidas adicionais para garantir a estabilidade [...] de Hong Kong e a soberania da China", disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Hua Chunying.

Há temor de que o impasse em relação a Hong Kong possa dificultar os esforços para acabar com a guerra comercial entre Washington e Pequim, reportou a Reuters.

© AP Photo / Ng Han GuanPorta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chuneing, durante briefing à imprensa
China proíbe entrada de navios militares e veta ONGs dos EUA por 'interferência' em Hong Kong - Sputnik Brasil
Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chuneing, durante briefing à imprensa

Os navios de guerra norte-americanos visitam Hong Kong frequentemente, em uma tradição anterior à transferência da soberania do território da Grã-Bretanha para a China, em 1997. Pequim permitiu que a tradição se mantivesse.

"Temos um longo histórico de visitas ao porto de Hong Kong", disse uma fonte do Departamento de Estados dos EUA. "Esperamos que isso continue", concluiu.

O porta-voz do Pentágono, tenente-coronel Dave Eastburn, disse que as visitas fazem parte de programa para "dar liberdade para os nossos marinheiros e expandir laços interpessoais com nossos anfitriões".

Sanções a ONGs norte-americanas

Pequim impôs sanções a diversas organizações não governamentais (ONGs) sediadas nos Estados Unidos, alegando haver evidências de que as mesmas estariam apoiando os protestos contra o governo e instigando manifestantes a cometerem atos de violência extrema em Hong Kong.

"[Essas ONGs devem] se responsabilizar pelo caos em Hong Kong, devem ser sancionadas e pagar o preço", disse Hua.
© REUTERS / Leah MillisManifestante atira coquetel molotov em uma estação de trem de Hong Kong, em 1 de dezembro de 2019
China proíbe entrada de navios militares e veta ONGs dos EUA por 'interferência' em Hong Kong - Sputnik Brasil
Manifestante atira coquetel molotov em uma estação de trem de Hong Kong, em 1 de dezembro de 2019

As entidades sancionadas são o Instituto Nacional Democrático para Assuntos Internacionais, o Instituto Republicano Internacional, a Human Rights Watch, a Freedom House e o Fundo Nacional para a Democracia (NED, na sigla em inglês).

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала