Guaidó promete nomear novos 'diplomatas' venezuelanos na Bolívia, reporta mídia

© REUTERS / Carlos Garcia RawlinsJuan Guaidó, líder da oposição venezuelana, que muitas nações reconheceram como o governante provisório legítimo do país, conversa com apoiadores perto da embaixada da Bolívia em Caracas, Venezuela, 16 de novembro de 2019
Juan Guaidó, líder da oposição venezuelana, que muitas nações reconheceram como o governante provisório legítimo do país, conversa com apoiadores perto da embaixada da Bolívia em Caracas, Venezuela, 16 de novembro de 2019 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, prometeu nomear seus representantes “diplomáticos” na Bolívia após a renúncia de Evo Morales e a formação do governo interino, liderado por Jeanine Áñez, informou a mídia.

No sábado (16), Guaidó e Áñez discutiram a situação em ambos os países durante uma conversa via Skype, transmitida pela rede de televisão estatal BoliviaTV. O líder da oposição anunciou que vai nomear seus representantes na Venezuela em poucos dias.

Durante a conversa, ambos os políticos denunciaram Nicolás Maduro e Evo Morales, com Áñez dizendo que "aqueles que se dizem socialistas do século XXI destroem tudo".

A nova ministra das Relações Exteriores da Bolívia, Karen Longaric, anunciou no dia 15 de novembro a expulsão do corpo diplomático venezuelano relacionado com o governo de Nicolás Maduro, depois que a presidente interina boliviana Áñez reconheceu Guaidó como o presidente legítimo da Venezuela.

Em outubro, Morales obteve uma vitória decisiva no primeiro turno da eleição presidencial, mas seu principal adversário, Carlos Mesa, recusou-se a reconhecer os resultados.

© REUTERS / Marco BelloManifestantes protestam contra o então presidente Evo Moralez nas ruas de La Paz, capital da Bolívia
Guaidó promete nomear novos 'diplomatas' venezuelanos na Bolívia, reporta mídia - Sputnik Brasil
Manifestantes protestam contra o então presidente Evo Moralez nas ruas de La Paz, capital da Bolívia

No dia 10 de novembro, as Forças Armadas bolivianas instaram Morales a renunciar em nome da estabilidade do país. Como resultado, ele renunciou no mesmo dia e deixou o país. As mais altas autoridades da Bolívia também se demitiram. Os poderes presidenciais foram temporariamente transferidos para a segunda vice-presidente do Senado, da oposição, Jeanine Áñez.

Protestos em massa

Em 21 de janeiro, protestos em massa eclodiram na Venezuela logo após a posse presidencial de Maduro, seguida pela autoproclamação de Guaidó como presidente interino do país.

Vários países ocidentais, incluindo o Brasil e Estados Unidos, anunciaram o reconhecimento do Guaidó. A Rússia, China, Turquia e vários outros países apoiaram Maduro como sendo o presidente legítimo.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала