Líder supremo do Irã descarta negociar com os EUA

© AP Photo / Escritório do Líder SupremoLíder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, discursa em Teerã, no Irã (foto der arquivo)
Líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, discursa em Teerã, no Irã (foto der arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O líder supremo do Irã descartou novamente neste domingo (3) negociar com Washington. A fala ocorre um dia antes do aniversário de 40 anos da crise dos reféns na embaixada dos EUA em Teerã.
"Quem vê as negociações com os Estados Unidos como a solução para todos os problemas certamente está enganado", disse o aiatolá Ali Khamenei durante um discurso para marcar o aniversário, segundo seu site oficial. "Não haverá nenhum resultado das conversas com os Estados Unidos porque eles certamente e definitivamente não farão nenhuma concessão".

Em 4 de novembro de 1979, menos de nove meses após a derrubada do xá iraniano, estudantes invadiram a embaixada dos Estados Unidos em Teerã para exigir que Washington entregasse o governante deposto depois que ele foi internado em um hospital dos EUA.

Levou 444 dias para a crise terminar com a libertação de 52 estadunidenses, mas Washington rompeu relações diplomáticas com o Irã em 1980 e os laços estão congelados desde então.

Khamenei, no entanto, disse que as "disputas" entre o Irã e os EUA não começaram com a ocupação da embaixada.

"Isso remonta ao golpe de 1953, quando os Estados Unidos derrubaram um governo nacional - que cometera o erro de confiar nos Estados Unidos - e estabeleceram seu governo corrupto e fantoche no Irã", disse sua conta no Twitter em inglês.

O golpe organizado pela CIA, apoiado pelo Reino Unido, derrubou o imensamente popular primeiro-ministro Mohammad Mossadegh, responsável pela nacionalização da indústria petrolífera do Irã, ressalta a agência de notícias AFP.

O golpe restabeleceu o governo do último xá do país, Mohammad-Reza Pahlavi, que havia fugido do país em agosto de 1953, depois de tentar dispensar Mossadegh.

As tensões voltaram a aumentar entre Teerã e Washington desde que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, retirou-se do acordo nuclear com o Irã de 2015 e restabeleceu sanções unilaterais.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала