EUA vão testar inteligência artificial em drones militares de combate

Nos siga noTelegram
O programa Skyborg do Laboratório de Pesquisa da Força Aérea dos EUA realizará em breve seu primeiro teste de voo, com atenção focada nos algoritmos de autonomia e inteligência artificial.

Os testes, programados para a base aérea Edwards, no condado de Kern, Califórnia, devem ser realizados com uma "pequena, mas representativa, aeronave substituta de alta velocidade", disse Cara Bousie, porta-voz da entidade, à Aviation Week. O objetivo final é criar até o final de 2023 um drone autônomo, pronto para combate, para acompanhar as aeronaves tripuladas.

Embora Cara Bousie tenha evitado dar detalhes adicionais sobre os testes, ela indicou que a mudança é parte de uma campanha de dois anos para determinar como a tecnologia irá funcionar em um ambiente controlado.

Will Roper, subsecretário de Compras, Tecnologia e Logística da Força Aérea dos EUA, revelou anteriormente, em uma entrevista em março, que as possíveis aeronaves a serem usadas nos testes incluem o Kratos XQ-58A Valkyrie, o Composite Engineering BQM-167 Skeeter e o Boeing QF-16.

Expectativas do programa

A ideia é que os aviões não tripulados que acompanham as aeronaves tripuladas sejam suficientemente baratos para não ser um problema perdê-los em combate. Serão capazes de realizar uma variedade de tarefas, tais como explorar o terreno ou concentrar o fogo inimigo no caso de o grupo ser atacado.

O programa Skyborg foi divulgado ao público em março. Espera-se que o drone use a tecnologia de inteligência artificial para gerenciar as tarefas de diversas missões militares caso surja necessidade.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала