'Queremos paz': resolver tensões com a Índia por vias militares é loucura, diz premiê paquistanês

© AP Photo / B.K. BangashImran Khan em discurso anti-governista realizado em Islamabad em 2014.
Imran Khan em discurso anti-governista realizado em Islamabad em 2014. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A ideia de que Índia e Paquistão resolvam suas diferenças por meios militares é "loucura" e a única maneira pela qual os dois rivais, munidos com armas nucleares, podem consertar os laços é através do diálogo, afirmou o primeiro-ministro paquistanês Imran Khan.

"Esperamos que nossa tensão com a Índia diminua, por isso não precisamos comprar armas porque queremos gastar dinheiro em desenvolvimento humano", declarou ele à Sputnik.

A Índia e o Paquistão devem esforçar-se para neutralizar as tensões por meios pacíficos, porque, do contrário, ambos os países se encontrarão à beira de uma guerra total.

"Não há como dois países com armas nucleares pensarem em resolver as diferenças por meios militares. É loucura", acrescentou.

Rangers do Paquistão patrulham as ruas de Islamabad (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Tiro no pé? Paquistão anuncia cortes militares em meio às tensões com a Índia

Os dois rivais se envolveram em um impasse transfronteiriço no começo deste ano, quando a Índia lançou ataques aéreos contra o que disse serem campos pertencentes a um grupo islâmico paquistanês que realizou ataques em solo indiano.

Militares paquistaneses retaliaram, abatendo um jato da Força Aérea indiana e capturando um piloto.

Ambos os países conseguiram aliviar as tensões, embora a violência esporádica e o bombardeio transfronteiriço tenham ocorrido na disputada região da Caxemira. A vida voltou ao normal em ambos os lados da fronteira - e oferece novas aberturas para a Índia e o Paquistão, acredita Khan.

"Esperamos que, como eu disse, agora que as eleições tenham terminado, a Índia responda positivamente a essas iniciativas, para promover o contato entre pessoas", observou. No entanto, "o contato entre pessoas só funciona quando os governos também tentam se aproximar", admitiu.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала