Chancelaria russa: EUA instigam abertamente à rebelião das Forças Armadas venezuelanas

© Sputnik / Sergei MamontovMilitares venezuelanos (imagem referencial)
Militares venezuelanos (imagem referencial) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os EUA instigam abertamente as Forças Armadas da Venezuela à rebelião, disse a representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova.

Zakharova afirmou que tudo indica que os EUA escolheram o cenário de confrontação na Venezuela com o uso da força e nem tentam esconder isso.

"Todos os meios de pressão informacional e psicológica estão sendo usados, desde a manipulação e informações falsas na mídia até a chantagem direta e incitação ao ódio. O principal objeto desta influência são as Forças Armadas da República Bolivariana. Continua igualmente sendo feita pressão em larga escala no pessoal militar", disse Zakharova em uma entrevista na quinta-feira (14).

Assembleia Nacional da Venezuela - Sputnik Brasil
EUA e Assembleia Nacional da Venezuela discutem destino de dívida venezuelana com Rússia
Assim, de acordo com Zakharova, EUA induzem o Exército venezuelano à revolta e políticos americanos de alto nível estão pedindo às Forças Armadas venezuelanas que passem para o lado da nova liderança autoproclamada.

"Que direito moral, depois disso, têm os EUA, em princípio, de falar sobre democracia e Estado de direito, tanto em um país em particular como na arena internacional? Não têm", disse ela.

No dia 31 de janeiro, o Parlamento Europeu pediu aos países europeus que se juntem ao reconhecimento do líder da oposição.

Manifestantes por trás de uma barricada em chamas durante protestos em Caracas, Venezuela - Sputnik Brasil
Moscou avisa seriamente Ocidente contra ideias arriscadas de usar a força na Venezuela
A Rússia, China, Irã e Turquia reafirmaram seu apoio ao atual governo venezuelano de Maduro, enquanto vários países latino-americanos, alinhados com os EUA e UE, expressaram apoio a Guaidó.

A crise política venezuelana se agravou no dia 23 de janeiro, depois que o chefe da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, se declarou presidente interino do país durante protestos antigovernamentais realizados nas ruas de Caracas.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала