Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

'Hilário': Lavrov ri da ideia de que a Rússia usa memes para destruir a democracia dos EUA

© Sputnik / Grigoriy Sisoev / Abrir o banco de imagensNews conference with Russia's Foreign Minister Sergei Lavrov
News conference with Russia's Foreign Minister Sergei Lavrov - Sputnik Brasil
Nos siga no
A ideia de que a Rússia está interferindo nas eleições e atacando a democracia dos Estados Unidos por "compartilhar memes" é um absurdo, disse o ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov. As acusações lançadas contra a Rússia pelos legisladores norte-americanos deixaram-no perplexo.

"É hilário quando ouço que imagens engraçadas podem minar a democracia americana", disse Lavrov a repórteres nesta quinta-feira, respondendo à pergunta do correspondente do RT sobre a última audiência do Comitê de Inteligência do Senado sobre suposta interferência russa em assuntos domésticos dos EUA.

Especialistas, levados como testemunhas para testemunhar perante o Senado na quarta-feira, falaram sobre a Rússia supostamente usando a abordagem online "menos notícias, mais memes" para dividir o público dos EUA. Isso levou os legisladores a levantar preocupações sobre como o "compartilhamento de memes" russo afeta os eleitores americanos.

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, durante coletiva de imprensa com seu homólogo russo, Vladimir Putin - Sputnik Brasil
Inteligência dos EUA contraria Trump e diz que Rússia segue interferindo nas eleições

"Eu acho que é apenas paranoia que sai da escala", Lavrov riu, dizendo que falar de memes de armas só faz os próprios senadores parecerem ruins. "Não é respeitável para os legisladores americanos fazerem uma sensação a partir do nada".

Os políticos norte-americanos constantemente acusaram os "trolls russos" de empreender uma campanha coordenada para influenciar as eleições no país — algo que Moscou nega. Durante as repetidas audiências no Congresso, os legisladores não forneceram provas concretas de que a suposta atividade on-line nefasta estava vinculada à Rússia e apresentavam dados sobre os efeitos que tal campanha poderia ter causado.

De fato, no ano passado, os gigantes da tecnologia Facebook, YouTube e Twitter disseram aos senadores que o conteúdo supostamente produzido por "operários russos" constituía uma pequena fração de seus feeds.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала