Yulia Skripal dá primeira entrevista após suposto envenenamento

© REUTERS / Dylan MartinezYulia Skripal, filha do ex-espião russo Sergei Skripal, fala com a Reuters, em Londres, em 23 de maio de 2018
Yulia Skripal, filha do ex-espião russo Sergei Skripal, fala com a Reuters, em Londres, em 23 de maio de 2018 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Yulia Skripal, filha do ex-espião russo Sergei Skripal, deu declarações à agência Reuters em sua primeira entrevista após o suposto envenenamento dela e de seu pai na Inglaterra.

De acordo com a Reuters, a jovem, que já deixou o hospital onde esteve internada, disse que ela e seu pai estão se recuperando de maneira lenta e dolorosa. Agradecendo às ofertas de ajuda da Embaixada da Rússia no Reino Unido, ela teria dispensado a assistência diplomática russa. 

Policiais em Salisbury - Sputnik Brasil
Ex-espião russo Sergei Skripal teve alta do hospital em Salisbury
"Eu sou grata pelas ofertas de assistência da embaixada russa. Mas, no momento, eu não desejo fazer uso dos seus serviços. Também quero reiterar o que disse em minha declaração anterior, que ninguém fala por mim ou pelo meu pai além de nós mesmos", disse ela, segundo a agência. 

Yulia, que é cidadã russa, expressou o desejo de retornar ao seu país, embora Londres acuse Moscou de estar por trás do envenenamento da dupla. 

"Enquanto eu tento entrar em acordo com as mudanças devastadoras que me são impostas física e emocionalmente, eu vivo um dia de cada vez e quero ajudar a cuidar do meu pai até sua recuperação completa. No longo prazo, espero voltar para casa, para o meu país."

Ainda de acordo com Yulia, foi um choque para ela ter sido vítima de uma tentativa de assassinato. No entanto, a jovem acredita que teve sorte ao sobreviver a esse ataque.

Policiais montam guarda perto de um banco de um shopping de Salisbury onde foram encontrados Sergei e Yulia Skripal, 12 de março, Reino Unido. - Sputnik Brasil
Reino Unido reforça discurso antirrusso no caso Skripal
"Minha vida está de cabeça para baixo. Sou grata a todo o pessoal maravilhoso e bondoso do hospital de Salisbury, lugar que se tornou muito familiar para mim. Também penso com carinho naqueles que nos ajudaram na rua no dia do ataque", agradeceu. "Eu vim para o Reino Unido no dia 3 de março para visitar meu pai, algo que fiz regularmente no passado. Depois de 20 dias em coma, acordei com a notícia de que ambos tínhamos sido envenenados", acrescentou.

A filha do ex-oficial da inteligência russa, que mais tarde se mudou para o Reino Unido e estava cooperando com o MI6, sublinhou que ela e seu pai devem ter privacidade e tempo para a recuperação.

"Eu gostaria de abordar algumas questões diretamente e escolhi interromper minha reabilitação para fazer essa pequena declaração. Peço que todos respeitem minha privacidade e a do meu pai. Precisamos de tempo para nos recuperar e aceitar tudo o que aconteceu."

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала