Venezuela busca ajuda russa e chinesa após sanções dos EUA sobre acordos comerciais

© REUTERS / Ueslei MarcelinoMinistro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza
Ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Venezuela está buscando ajuda da Rússia e da China para suprir suas necessidades econômicas depois que os Estados Unidos impuseram sanções a transações na nova moeda do país, disse o ministro venezuelano de Relações Exteriores, Jorge Arreaza, durante uma coletiva de imprensa.

Em março, o presidente dos EUA, Donald Trump, assinou uma ordem executiva para impedir que cidadãos norte-americanos e entidades sob jurisdição dos EUA usassem a nova moeda digital da Venezuela, o petro.

"Estamos tentando encontrar meios com nossos aliados e irmãos da Rússia, da China, da Turquia, da Índia, que são grandes potências econômicas", disse Arreaza na quarta-feira. "Estamos tentando encontrar outras maneiras alternativas de responder ao povo venezuelano e às suas necessidades fundamentais e básicas".

Crise na Venezuela - Sputnik Brasil
Especialista da ONU: sanções contra Venezuela violam direitos humanos
Arreaza disse que os bancos internacionais têm medo de sanções e medidas coercitivas unilaterais e não querem trabalhar com a Venezuela enquanto suas transações são rejeitadas pelo sistema financeiro.

O presidente venezuelano Nicolás Maduro criou a moeda digital com o benefício de não depender do sistema monetário internacional.

A difícil situação econômica na Venezuela levou a uma inflação acelerada e a taxa de câmbio do bolívar venezuelano entrou em colapso no mercado negro.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала