Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Tel Aviv: ataque a reator nuclear sírio é mensagem para Irã

© AP Photo / Vahid Salemi A usina nuclear Bushehr no Irã (imagem referencial)
A usina nuclear Bushehr no Irã (imagem referencial) - Sputnik Brasil
Nos siga no
Anteriormente, a assessoria de imprensa do exército israelense desclassificou dados sobre ataque da Força Aérea de Israel contra reator nuclear da Síria, que ocorreu há dez anos na província de Deir ez-Zor.

A destruição do reator nuclear na Síria demonstra prontidão de Israel de impedir que seus adversários, incluindo o Irã, possuam armas nucleares, afirmou no Twitter o ministro da Inteligência israelense, Israel Katz.

"A operação e seu êxito deixam claro que Israel jamais permitirá que armas nucleares fiquem nas mãos dos que ameaçarem sua existência – Síria, naquela época, e o Irã, agora", assinalou o político.

Soldados israelenses junto de unidades de artilharia móvel perto da fronteira com a Síria - Sputnik Brasil
Israel promete impedir presença militar do Irã na Síria
Israel, depois de mais de 10 anos, reconheceu oficialmente sua responsabilidade por ter atacado reator nuclear clandestino no país vizinho, ao desclassificar vários materiais sobre preparo e realização da operação.

Representantes da Força Aérea israelense afirmaram que ataques aéreos ao reator nuclear sírio foram realizados quando a construção da instalação já estava no estágio final. Em meio à guerra civil no país, a província de Deir ez-Zor, onde o reator se encontrava, foi conquistada pelos terroristas do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países).

A desclassificação desta missão israelense evidencia a segunda vez que militares israelenses destruíram um possível gerador de energia nuclear de um país vizinho na região. Em 1981, a Força Aérea de Israel realizou ataques a um reator nuclear do Iraque.

Damasco ainda não comentou as declarações de Israel sobre destruição do reator nuclear.

Míssil de médio alcance Zelzal é apresentado em parada militar no Irã - Sputnik Brasil
Irã é capaz de produzir urânio enriquecido em 2 dias caso EUA abandonem acordo nuclear
Israel e EUA têm acusado Irã de manter presença militar na Síria e até mesmo de possuir uma base. Por sua vez, o Irã desmente todas as acusações, qualificando-as como infundadas, contudo, o país reconheceu ter enviado assessores militares para preparo de tropas sírias leiais a Damasco.

Israel encara atividades do Irã como ameaça à segurança nacional e continua alertando que o país estaria construindo uma base militar permanente ao sul de Damasco. 

Fevereiro foi marcado pela maior escalada do conflito entre Israel e o Irã na Síria. O exército israelense afirmou ter interceptado um drone iraniano lançado a partir do território sírio. Em seguida, a Força Aérea de Israel bombardeou alvos iranianos na Síria. Os sistemas de defesa aérea síria reagiram, o que resultou na derrubada de um caça F-16 israelense. Na segunda onda de ataque, as forças de Israel atingiram 12 alvos na Síria, incluindo baterias de defesa aérea síria e instalações militares iranianas, segundo as Forças de Defesa do país.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала