Presidente russo explica causa da tragédia com submarino russo Kursk

© AFP 2022 / Stringer Submarino Kursk fica na base militar em Vidyayevo (foto de arquivo)
Submarino Kursk fica na base militar em Vidyayevo (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente russo, Vladimir Putin, desvendou a causa da tragédia que aconteceu com o submarino russo Kursk em 2000.

De acordo com ele, a embarcação naufragou devido a sérios problemas que o exército russo enfrentava naquela época.

"Após a desintegração da União Soviética, precisamos lidar com enormes dificuldades no campo econômico, social, e claro, tudo isso acabou afetando o exército", declarou o presidente no documentário "Putin" publicado nas redes sociais. O líder russo acrescentou que a tragédia do Kursk foi um "reflexo da condição em que se encontravam as Forças Armadas russas". 

Presidente russo, Vladimir Putin, e presidente norte-americano, Donald Trump, na cúpula da APEC no Vietnã - Sputnik Brasil
Putin sabe algo sobre Trump que este não quer tornar público?
Putin enfatizou que, no momento da tragédia, havia pouco tempo que ele assumiu o cargo de presidente e não sabia que exercícios militares sérios estavam ocorrendo no mar de Barents.

"O ministro da Defesa telefonou e informou que havíamos perdido um submarino, mas já o encontramos e começaremos em breve o trabalho. Não ficou claro que se tratava de algo trágico, depois, começaram os trabalhos em grande escala e tudo se revelou", recordou o líder russo.

Vladimir Putin acrescentou que, levando em consideração o estado em que se encontrava o exército russo, a tragédia "não o surpreendeu". Enquanto isso, ele enfatizou que a tragédia era gravíssima.

"É claro que isso não deve ser esquecido", afirmou.

Submarino norte-coreano da classe Sango que encalhou em 1996 no litoral perto de Gangneung, Coreia do Sul - Sputnik Brasil
'Caixão de ferro': conheça o trágico fim do submarino secreto norte-coreano (VÍDEO)
Ele também disse que após a tragédia, resolveu falar com os familiares dos marinheiros falecidos para apoiá-los e "assegurar que faremos de tudo para emergir o submarino".

"A conversa foi difícil, mas completamente honesta. Extremamente honesta e aberta. E claro, as pessoas perceberam e entenderam isso", contou Putin.

O líder da Rússia destacou que foi aconselhado a não tentar emergir o submarino, contudo, insistiu já que havia prometido fazê-lo.

O submarino nuclear Kursk da Classe Oscar-II afundou durante as manobras realizadas no mar de Barents em 12 de agosto de 2000, com uma tripulação de 118 marinheiros, todos eles morreram. Foi a maior tragédia subaquática da história.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала