'Caixão de ferro': conheça o trágico fim do submarino secreto norte-coreano (VÍDEO)

CC BY-SA 3.0 / Idobi via Wikimedia Commons / Submarino norte-coreano Sang-OSubmarino norte-coreano da classe Sango que encalhou em 1996 no litoral perto de Gangneung, Coreia do Sul
Submarino norte-coreano da classe Sango que encalhou em 1996 no litoral perto de Gangneung, Coreia do Sul - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Apesar de parecer um submarino de brinquedo – de cor vermelha e verde e muito pequeno – esta embarcação norte-coreana ainda hoje lembra a tragédia que aconteceu com seus tripulantes.

Rodeado de muitos bunkers de concreto e emaranhados de arame farpado, o submarino da classe Sango está em uma zona estratégica da Coreia do Sul, a apenas 30 quilômetros da cidade de Gangneung, que sediou os eventos das últimas Olimpíadas de Inverno.

Kim Jong-un, líder da Coreia do Norte, na cerimônia de inauguração do Museu da Vitória na Guerra da Coreia, Pyongyang - Sputnik Brasil
Coreia do Norte ameaça 'enfrentar' EUA devido a exercícios militares com Seul
A embarcação norte-coreana é o símbolo do incidente de Gangneung de 1996, quando a Coreia do Norte enviou nela um grupo de comandos ao país vizinho.

Na hora de retirar seus agentes, o submarino encalhou. Para que o inimigo não capturasse a embarcação, os norte-coreanos puseram fogo ao submarino e tentaram voltar à pátria por terra, mas acabaram fracassando. A Coreia do Sul enviou mais de 40 mil soldados, incluindo forças especiais de elite, para seguir os diversionistas. Como resultado do incidente, 24 dos 26 membros da tripulação do navio foram mortos, um se entregou à polícia local e outro nunca foi encontrado.

Vale destacar que onze dos norte-coreanos teriam sido mortos por seus próprios colegas, pois nos corpos não havia sinais de resistência.

Mais tarde, a Coreia do Norte admitiu o incidente de 1996 em Gangneungde, qualificando-o de uma operação de treinamento malsucedida. Como resultado da admissão por Pyongyang, os restos mortais dos agentes foram devolvidos à Coreia do Norte, mas não o submarino. Em 2001, este foi transformado em um museu a céu aberto.

Marinheiros alemães que serviram nos submarinos tipo U-Boot da época da Primeira Guerra Mundial, batizaram suas embarcações de "caixões de ferro", mas, segundo aponta o artigo do National Interest, o infame submarino norte-coreano tem apenas 35 metros de comprimento e menos de quatro metros de boca, sendo assim ainda menor que as embarcações alemãs.

Segundo detalha a revista norte-americana, o interior do barco norte-coreano é extremamente apertado.

"Os três compartimentos são revestidos com uma mistura de tubos, válvulas e equipamento de comunicação; na torre de comando pode ser visto o dano causado pelo fogo. O único objeto de saneamento no submarino é uma pia."

Militares norte-coreanos na Praça de Kim Il-sung em Pyongyang, Coreia do Norte (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Rússia: linha de tensões passa entre Coreia do Norte e EUA, mas não entre duas Coreias
Apenas imaginar os 26 homens, junto com seus equipamentos de mergulho e armas, tentando caber neste espaço reduzido, é um pesadelo para quem sofre de claustrofobia, acrescenta National Interest.

Mesmo assim, apesar das muitas evidências indicando que o exército da Coreia do Norte está mal equipado e tem escassez de alimentos e medicamentos básicos, "não há dúvidas que as forças especiais norte-coreanas representam uma ameaça potencial", afirma o artigo.

Em operações repetidas, de 1968 e 1969 e incursões submarinas, as tropas do país lutaram até à morte, matando até seus colegas ou a eles próprios para evitar serem capturados.

"O equipamento deles pode ser primitivo, mas seu treinamento e motivação são verdadeiramente superiores", resume o artigo.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала