- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

'Perseguidos': PT compara Lula a Mandela e Getúlio Vargas para defender liberdade

© REUTERS / Ricardo MoraesBrazil's former President Luiz Inacio Lula da Silva
Brazil's former President Luiz Inacio Lula da Silva - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Partido dos Trabalhadores (PT), a força política do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o comparou nesta terça-feira ao sul-africano Nelson Mandela e ao ex-presidente Getúlio Vargas, que cometeu suicídio em 1954.

"Nelson Mandela e Getúlio Vargas [...] dois casos de injustiça que causaram destruição irreparável, não podemos deixar o mesmo acontecer com Lula e com o Brasil de hoje: Lula livre!", escreveu o partido em sua conta no Twitter.

O tweet foi postado pouco depois do Superior Tribunal de Justiça (STJ) ter negado um recurso impetrado pela defesa de Lula para mantê-lo em liberdade.

O STJ negou um pedido de habeas corpus que pedia que o ex-presidente para permaneça em liberdade enquanto não se esgotam todos os recursos possíveis, defendendo a prerrogativa de que um condenado passe a cumprir pena tão logo se esgotem todos os recursos em segunda instância.

Ministros do STJ durante sessão que votou Habers corpus do ex-presidente Lula nesta terça-feira - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Quinta Turma do STJ nega habeas corpus preventivo a Lula

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (segunda instância) responderá em breve aos advogados de Lula sobre um recurso da defesa e, nesse momento, o ex-mandatário poderá ser forçado a cumprir a sentença de 12 anos e um mês de prisão por crimes de corrupção, embora tenha ainda uma última opção de recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Lula e seu partido consideram que o ex-presidente está sendo vítima de uma perseguição midiática e judicial que tenta impedi-lo de disputar as eleições de outubro, para as quais ele aparece como favorito.

Mandela, símbolo da luta contra o apartheid na África do Sul, ficou preso por 27 anos, e Vargas cometeu suicídio no Palácio do Catete, no Rio de Janeiro, depois de semanas de fortes pressões dos militares e da imprensa para que deixasse o cargo.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала