Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

'Criptocrime': americana usa bitcoin para lavar dinheiro para o Daesh

© Sputnik / Vladimir Astapkovich / Abrir o banco de imagensBitcoin, criptomoeda
Bitcoin, criptomoeda - Sputnik Brasil
Nos siga no
Uma mulher supostamente converteu US$ 85.000 em bitcoin e outras moedas virtuais para apoiar o Daesh, mas foi apanhada pelas autoridades enquanto tentava embarcar em um voo fora dos EUA.

Zoobia Shahnaz, 27, uma cidadã dos EUA, foi indiciada na última quinta-feira no tribunal federal em Central Islip, no Estado americano de Nova York.

Shahnaz foi acusada de cinco crimes, envolvendo fraude bancária, conspiração para cometer lavagem de dinheiro, e três acusações substantivas de lavagem de dinheiro, de acordo com uma declaração do Departamento de Justiça (DOJ) dos EUA.

Jihadista segura a bandeira do Daesh - Sputnik Brasil
Daesh ameaça atacar Nova York após decisão de Trump sobre Jerusalém

Tanto os dados do tribunal como a acusação divulgada na quinta-feira alegam que Shahnaz fraudou várias instituições financeiras, que é como ganhou mais de US$ 85.000.

Depois de supostamente enganar as instituições financeiras, Shahnaz procedeu à conversão desse dinheiro em bitcoin e moedas similares, que foram então transferidas para fundos estrangeiros e lavadas para sustentar o Daesh, disse o comunicado de imprensa do DOJ.

Shahnaz foi presa na quarta-feira no Aeroporto Internacional John F. Kennedy, após um interrogatório feito por funcionários da lei que a impediram de viajar enquanto tentava deixar os EUA para Islamabad, no Paquistão.

Shahnaz lavou o bitcoin para pessoas nos países da China, Turquia e Paquistão. A mulher também "acessou a propaganda do Daesh, sites e fóruns de discussão relacionados à jihadistas violentos, e páginas de mídia social e mensagens de recrutadores, facilitadores e financiadores conhecidos do Daesh", de acordo com a declaração do DOJ.

Ela fez pesquisas de mapas que descrevem as regiões da Síria então sob controle do Daesh e buscou na internet "recrutadores, financiadores e lutadores do Daesh, incluindo aqueles que incentivavam ataques de lobos solitários contra alvos americanos".

Shahnaz também teve intenções de "viajar para a Síria e se juntar ao Daesh", disse o comunicado de imprensa do DOJ.

A procuradora para o Distrito Oriental de Nova York, Bridget Rohde, divulgou uma declaração sobre o caso de Shahnaz.

Residentes afegãos em burcas - Sputnik Brasil
Crianças do Afeganistão são nova arma do Daesh

"Como alegado, a ré Zoobia Shahnaz se envolveu em um esquema de fraude bancária, comprou bitcoin e outras criptomoedas e lavou dinheiro no exterior, com a intenção de colocar milhares de dólares nos cofres de terroristas", disse Rohde, de acordo com o jornal Washington Examiner.

A viagem de Shahnaz para fora dos EUA também teve uma escala em Istambul, Turquia, que durou vários dias. Os promotores afirmam que este é um "ponto comum de entrada" para as pessoas provenientes dos países ocidentais que tentam se juntar ao Daesh, de acordo com o comunicado de imprensa do DOJ.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала