Chancelaria russa: solução militar para Coreia do Norte terá consequências catastróficas

© Sputnik / Natalia Seliverstova / Abrir o banco de imagensO edifício do Ministério das Relações Exteriores russo na Praça Smolenskaya-Sennaya, em Moscou
O edifício do Ministério das Relações Exteriores russo na Praça Smolenskaya-Sennaya, em Moscou - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O problema da Coreia do Norte não tem a solução militar, o conflito terá consequências catastróficas, declarou o Ministério das Relações Exteriores da Rússia.

Lançamento de mísseis na Coreia do Norte - Sputnik Brasil
Coreia do Norte reforça sua defesa após voo de aviões dos EUA perto de sua fronteira
Moscou sublinhou a importância de lidar com a crise na península da Coreia através de meios politico-diplomáticos.

"Acreditamos que não há solução militar para esse conflito, porque ela estará ligada a consequências catastróficas não apenas para a Coreia do Sul, mas para toda a região", declarou o diretor do Departamento de Não Proliferação e Controle de Armas do Ministério das Relações Exteriores russo, Mikhail Ulyanov, durante coletiva de imprensa na agência Rossiya Segodnya.

Vendedor em Seul assiste notícia sobre teste nuclear realizado pela Coreia do Norte, 9 de setembro de 2016 - Sputnik Brasil
Antes de negociar, EUA querem inspecionar instalações nucleares de Pyongyang
"A solução militar é inaceitável para nós", acrescentou ele.

Quanto à decisão dos EUA de fazer pressão sobre Pyongyang, o diplomata sublinhou que isso não levará ao fim do conflito.

"As sanções não são uma panaceia, e o fato de os nossos parceiros norte-americanos estarem apostando inequivocamente apenas em medidas de pressão, em primeiro lugar nas sanções, deve-se ressaltar que esse um caminho que não leva a lugar algum e que prova sua fraqueza", afirmou ele.

Ulyanov acrescentou que Moscou está procurando uma solução política para resolução do conflito, mas esse trabalho não é publico.

"Estamos envolvidos nesse trabalho, não é publico, por razões óbvias, mas estamos tentando, pelo menos, controlar a situação o máximo possível", disse Ulyanov.

Submarino norte-americano de classe Los Angeles perto de navio USS Higgins - Sputnik Brasil
Coreia do Sul fortalecerá Forças Armadas com submarinos nucleares e satélites espiões
Na segunda-feira (25) o ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte, Ri Yong-ho, disse que o presidente norte-americano, Donald Trump, teria declarado guerra a Pyongyang, levando em consideração a afirmação de Trump de que a "liderança da República Popular Democrática da Coreia não estará aqui [no mundo] por muito mais tempo", e por isso Pyongyang teria o direito de abater os bombardeiros dos EUA.

O Pentágono declarou, por sua vez, que pretende apresentar ao presidente norte-americano várias opções para "lidar com os norte-coreanos", se a Coreia do Norte continuar provocando.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала