Trump não vai gostar: Jornal dá receita para EUA frearem a ameaça norte-coreana

© AP PhotoDonald Trump hotel Rio
Donald Trump hotel Rio - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Em editorial publicado nesta terça-feira, o jornal norte-americano The New York Times deu a receita que considera mais acertada para os Estados Unidos lidarem com a Coreia do Norte, em meio ao agravamento da crise que dura meses entre os dois países.

De acordo com a publicação, a abordagem do republicano para a questão norte-coreana “está fracassando” até aqui, e que a tática de colocar a culpa na China pela falta de uma contenção do programa nuclear e militar de Pyongyang também traz poucos resultados.

“O Sr. Trump, de fato, insistiu no início de janeiro que tal míssil [balístico intercontinental] ‘não iria acontecer’. Bem, aconteceu duas vezes”, ironiza o jornal, que já foi acusado por Trump em várias ocasiões por supostas notícias que seriam falsas, na visão do republicano.

Diante da crescente ameaça que a Coreia do Norte representa aos Estados Unidos e seus aliados na Ásia – Coreia do Sul e Japão –, é tempo da Casa Branca mudar a sua abordagem para com Pyongyang. Ou isso, ou Trump corre o risco de fracassar como alguns antecessores.

Imagens exibidas na TV após realização de teste nuclear norte-coreano, 9 de setembro, 2016 - Sputnik Brasil
Seul: Novo teste nuclear da Coreia do Norte em agosto é 'provável'

“A Coreia do Norte e o seu programa nuclear, um longo e complexo desafio sem solução segura, está se tornando exponencialmente pior”, continua o editorial, que reconhece que Pequim de fato poderia fazer mais, porém é o momento de Trump tomar as rédeas.

Para o jornal, o receituário adequado a ser seguido pela Casa Branca deve ser o diplomático.

“As sanções por si só não são a resposta. O Sr. Trump precisa enfrentar a realidade de que ele não pode resolver esta crise por procuração, que ele deve intervir diretamente e que ele deve fazê-lo logo […]. O que tal intervenção direta implicaria? Para começar, o Sr. Trump deveria abandonar a fúria e enviar o secretário de Estado Rex Tillerson ou algum outro emissário de alto nível para Pyongyang, a fim de explorar se há alguma base para as negociações. Em maio, o presidente levantou a possibilidade de conhecer o líder norte-coreano, Kim Jong-un, ele mesmo ‘nas circunstâncias corretas’ para desarmar as tensões”, diz o texto.

Para a publicação, o regime norte-coreano já deu sinais de que aceitaria negociar, com base na opinião de especialistas. Contudo, os EUA deveriam parar com a retória “irrealista” de que só aceitariam conversar com Pyongyang se o país abandonasse o seu programa nuclear.

“As conversas devem começar sem pré-condições; O que é mais urgente é interromper o progresso do programa”, opina o jornal, para quem todas as dúvidas junto à Coreia do Norte só podem ser esclarecidas “se alguém perguntar a eles”.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала