Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

MRE russo explica por que a visita de Tillerson não foi cancelada após ataque contra Síria

© Sputnik / Maxim Blinov / Abrir o banco de imagensUnited States Secretary of State Rex Tillerson at Vnukovo-2 Airport
United States Secretary of State Rex Tillerson at Vnukovo-2 Airport - Sputnik Brasil
Nos siga no
A visita de Rex Tillerson, secretário de Estado dos EUA, a Moscou não foi cancelada apesar dos ataques americanos contra a Síria. Como explicou a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, Moscou quer compreender a posição de Washington a respeito dos principais problemas internacionais.

"Queremos entender qual é a estratégia deste país ", destacou a diplomata ao canal de televisão Dozhd

White House Press Secretary Sean Spicer speaks to media while his American flag lapel pin is upside down - Sputnik Brasil
Porta-voz da Casa Branca se desculpou por comparar Assad ao Hitler
Washington e os seus aliados da coalizão culparam o Exército sírio pela alegada utilização de armas químicas na província de Idlib no dia 4 de abril. Os EUA não apresentaram qualquer prova de suas alegações nem atenderam a chamada de Moscou para fazer uma investigação mais detalhada antes de condenar Damasco por este ataque. Na noite de 7 de abril, os EUA atacaram uma base militar da Síria. Ao mesmo tempo, o ministro das Relações Exteriores da Síria, Walid Mualem, declarou que as tropas do governo nunca utilizaram nem utilizarão armas químicas contra civis e terroristas.

"Segundo o meu ponto de vista, já ninguém entende nada… Não entendemos o que eles vão fazer na Síria. E não é só a gente que não entende. Ninguém entende o que eles vão fazer no Oriente Médio, porque o Oriente Médio é uma região complicada, me perdoem por esta banalidade. Ninguém sabe o que eles vão fazer com o Irã. Ninguém sabe o que eles vão fazer com o Afeganistão. Me desculpem, mas ainda não disse nada sobre o Iraque … Ninguém entende o que eles vão fazer com a Coreia do Norte… Até há pouco tempo ninguém sabia o que eles iriam fazer com a OTAN ", sublinhou Zakharova.

Esta foto de satélite mostra a base aérea de Shayrat, na província síria de Homs, em fevereiro de 2017 - Sputnik Brasil
Putin comparou o ataque contra Síria com a intervenção dos EUA no Afeganistão
A mesma coisa acontece, segundo as palavras da porta-voz, nas relações bilaterais entre Moscou e Washington.

"Claro que para nós existe um assunto extremamente importante: saber como os americanos veem as relações russo-americanas, visto que, para dizer a verdade, já passamos por etapas diferentes e penso que é necessário ver o que foi feito e tirar determinadas conclusões. Por isso, saber como eles olham para o desenvolvimento das relações, que interesse têm nelas e qual a sua estratégia também são questões importantes", concluiu a diplomata russa.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала