Mídia: quais países poderão ganhar e perder com vitória de Trump?

© REUTERS / CARLO ALLEGRIPresidente eleito dos EUA Donald Trump durante discurso em Manhattan, Nova York, 9 de novembro de 2016
Presidente eleito dos EUA Donald Trump durante discurso em Manhattan, Nova York, 9 de novembro de 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A vitória inesperada do republicano Donald Trump nas eleições presidenciais abalou o palco político internacional. O jornal britânico Guardian revela quais países serão os mais beneficiados com esse “triunfo” e quais, ao contrário, sofrerão devido à vitória do magnata.

Nadezhda Savchenko durante a sessão do parlamento ucraniano - Sputnik Brasil
Savchenko escreve carta a Trump para aumentar sanções contra a Rússia
O Japão, aliado dos EUA, está correndo um risco de se tornar um dos perdedores após a eleição de Trump. Na opinião de Trump, Tóquio e Seul não devem recorrer à ajuda externa, exceto no caso de ameaça nuclear proveniente de Pyongyang.

Além do Japão, quem vai perder também é o Irã. Por quê? Os republicanos sempre foram contra o acordo nuclear que foi firmado pelo grupo P5+1 e Teerã em julho de 2015. Anteriormente, Trump qualificou esse acordo como “um dos piores”, prometendo anulá-lo caso ganhasse.

Guardian escreve que o México também sofrerá com a vitória de Trump, pois o novo presidente norte-americano considera os imigrantes como um perigo sério e chegou a sugerir a construção de uma muralha na fronteira entre o México e os EUA a fim de combater a imigração ilegal de forma mais eficiente.

Quanto à Europa, o presidente francês, François Hollande, destacou que "após a vitória de Trump, ficou claro que a Europa deve cuidar de si mesma". Ao mesmo tempo, vários políticos da Alemanha estão insatisfeitos com tal virada de jogo, pois, na opinião deles, Trump poderá ameaçar os contatos entre Washington e Bruxelas na área política, econômica e militar.

© REUTERS / Mike SegarPresidente eleito dos EUA, Donald Trump, cumprimenta os seus apoiantes em Manhattan, Nova York, em 9 de novembro de 2016
Presidente eleito dos EUA, Donald Trump, cumprimenta os seus apoiantes em Manhattan, Nova York, em 9 de novembro de 2016 - Sputnik Brasil
Presidente eleito dos EUA, Donald Trump, cumprimenta os seus apoiantes em Manhattan, Nova York, em 9 de novembro de 2016

Protestos anti-Trump e antirracismo em Londres - Sputnik Brasil
Revolução televisionada de Trump: protestos antirracistas estrondam em Londres
Segundo Guardian, ao contrário dos países acima mencionados, a Rússia vai ganhar com a vitória de Trump. O republicano já manifestou seu respeito em relação ao presidente russo Vladimir Putin, tendo também prometido examinar a questão do reconhecimento da Crimeia como parte da Rússia. 

Consequentemente, outro país-ganhador é a Síria, pois, segundo Trump, os EUA vão combater os terroristas do Daesh e da Frente al-Nusra (ambos são proibidos na Rússia), ao invés do governo sírio de Bashar Assad. 

Finalmente, o líder da China, Xi Jinping, apoia as críticas de Trump em relação às políticas de Obama na Ásia, que ameaçam os interesses de Pequim, e também pode ser caracterizado como um país-ganhador.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала