Acordos de Minsk podem ser implementados até o fim do mandato de Obama

Nos siga noTelegram
Os EUA contam com a implementação dos acordos de Minsk na Ucrânia ainda antes da conclusão do mandato de Barack Obama, declarou nesta quinta-feira conselheira de Segurança Nacional da Casa Branca, Susan Rice.

Polícia ucraniana detém manifestante em protesto - Sputnik Brasil
Moscou: relatórios da ONU comprovam práticas de tortura pelo governo da Ucrânia
“Essa questão pode estar resolvida até o fim das atribuições da administração atual, se os russos demonstrarem vontade política suficiente”, disse Rice em entrevista ao jornal Washington Post.

Ela manifestou esperança de que a Rússia deseja solucionar o tema. “Temos motivos para pensar isso. E esperamos haver tempo e possibilidades suficientes para a solução”, completou a conselheira.

A assessora do presidente norte-americano reiterou que a revogação das sanções contra a Rússia está relacionada com o cumprimento dos acordos de Minsk. Ela classificou a realização dos acordos de “programa para a normalização das relações da Rússia com os EUA e a Europa”. 

“Demonstramos de modo inequívoco que as sanções podem ser retiradas no contexto da realização dos acordos de Minsk”, frisou a Susan Rice. Segundo ela, “esse documento permite solucionar o conflito no leste da Ucrânia de modo a manter a sua soberania e a sua unidade”.

Representante oficial do Ministério das Relações Exteriores russo, Maria Zakharova, durante a entrevista coletiva semanal, Moscou, Rússia, 25 de fevereiro de 2016 - Sputnik Brasil
Agenda política de Kiev reflete a falta de vontade de honrar os acordos de Minsk
O governo da Ucrânia, em abril de 2014, iniciou uma operação militar contras as autoproclamadas repúblicas populares de Lugansk e de Donetsk, que declararam independência depois de um golpe de Estado, ocorrido em fevereiro de 2014. Segundo os dados da ONU, mais de 9 mil pessoas morreram durante o conflito.

A normalização da crise na região de Donbass esta sendo discutida, entre outros formatos, durante uma série de reuniões em Minks, pelo grupo de contato, que, desde setembro de 2014, já aprovou três documentos que regulamentam os passos para a resolução do conflito. No entanto, mesmo depois da assinatura de acordos de cessar-fogo, as partes do conflito, com frequência, violam o regime de trégua.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала