Putin e Merkel insistem na aplicação dos acordos de Minsk

© Sputnik / Sergey Guneev / Abrir o banco de imagensVladimir Putin, Presidente da Rússia, e Angela Merkel, Chanceler da Alemanha
Vladimir Putin, Presidente da Rússia, e Angela Merkel, Chanceler da Alemanha - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente russo, Vladimir Putin, e a chanceler alemã, Angela Merkel, discutiram por telefone nesta quarta-feira (20) a situação na Ucrânia e enfatizaram a necessidade de uma rigorosa aplicação dos acordos de Minsk pelas partes em conflito.

Carros da organização internacional Cruz Vermelho na fronteira perto da cidade ucraniana de Donetsk (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Conselho Rússia-OTAN: é necessário implementar Acordos de Minsk urgentemente
Os líderes concordaram em dar continuidade aos esforços para resolver a crise ucraniana no formato da Normandia – que envolve a Rússia, a Alemanha, a França e a Ucrânia – e na Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), segundo informou o serviço de imprensa do Kremlin.

Em abril de 2014, Kiev iniciou uma operação militar nas províncias de Donetsk e Lugansk para reprimir os movimentos independentistas que surgiram na região após a mudança violenta de poder no país, ocorrida em fevereiro do mesmo ano. 

Desde então, as hostilidades já deixaram mais de nove mil mortos e 20.700 feridos, segundo dados da ONU.

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov (direita), durante encontro com o seu colega francês Jean-Marc Ayrault em Moscou - Sputnik Brasil
Chanceler francês pede que Kiev respeite acordo de descentralização e eleições em Donbass
O último acordo alcançado no formato da Normandia em Minsk, assinado em 12 de fevereiro do ano passado, prevê um cessar-fogo total no leste da Ucrânia, a retirada de armas pesadas da linha de contato e a criação de uma zona de segurança, assim como uma nova Constituição cuja entrada em vigor deveria ter acontecido até o final de 2015, com a descentralização como elemento-chave (tendo em vista as particularidades das regiões de Donetsk e Lugansk, acordadas com os representantes destas áreas).

Os dois lados não conseguiram cumprir os acordos no prazo previsto, que foi prolongado para 2016.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала