Coalizão internacional não divulga a verdade completa

© Sputnik / Aleksandr Vilf / Abrir o banco de imagensMajor General Igor Konashenkov, porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia
Major General Igor Konashenkov, porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Segue a íntegra do briefing do porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia, Igor Konashenkov.

Mais uma vez gostaria de chamar a atenção para o fato de que, durante toda a operação na Síria, nós apresentamos dados do controle objetivo das nossas ações de combate, inclusive o controle dos alvos atingidos.

Bombardeiro Su-24 decola a partir de aeródromo de Khmeimim na Síria - Sputnik Brasil
Caças russos Su-24 e Su-25 embarcam em novas missões contra Daesh na Síria (VÍDEO)
Além do mais, fazemos isso regularmente, ao contrário dos nossos colegas da coalizão anti-Daesh, que só discursam sobre os seus êxitos, escondendo a parte fatual.

Claro que é a sua escolha.

Mas nos incomoda o fato de a mesma atitude ser muitas vezes usada na tentativa de avaliar as nossas ações de combate contra grupos terroristas na Síria.

Para a comunidade internacional já é óbvio, como se diz, who is who [“quem é quem” em inglês] na luta contra o terrorismo internacional.

Por mais que nós eliminemos com força e precisão os militantes, os nossos colegas nos criticam sempre, tentando por várias maneiras desviar a atenção da opinião pública.

Vou dar vários exemplos.

Na semana passada, surgiu a informação sobre a alegada instalação de uma nova base aérea russa de povoação de Shairat. 

Não é preciso ser um brilhante especialista militar para compreender que só bastam 30-40 minutos para qualquer avião russo atingir o ponto mais distante na Síria a partir da base de Hmeymim, onde o grupo de aviação russa está baseado.

Qualquer necessidade de ação rápida que implique a instalação de novas “bases aéreas” russas no território da Síria, tal como foi inventado pelos “estrategas de sofá”, não existe e não existiu.

Vou também comentar informações, que citam fontes anônimas no Pentágono, sobre a alegada presença de nossos aviões no ataque aéreo realizado em 6 de dezembro contra AS tropas do governo sírio na região de Deir ez-Zor.

Primeiramente vêm os fatos.

Soldados do Exército sírio na cidade de Atshan, libertada dos terroristas com apoio da aviação russa. Província de Homs, Síria, 13 de outubro de 2015 - Sputnik Brasil
Síria protesta na ONU contra ataque dos EUA às instalações do Exército do país árabe
Segundo os dados do Estado-Maior do exército sírio, em 6 de dezembro, desde as 19h40, durante 15 minutos, a aviação da coalizão ocidental efetuou um ataque contra o acampamento da 168ª brigada da sétima divisão das Forças Armadas da Síria, localizada dois quilômetros a oeste do aeródromo de Deir ez-Zor.

Foram mortas quatro e feridos 12 pessoas.

Vou lembrar que nós coordenamos as nossas sorties na Síria com a gerência do movimento aéreo e com o Estado-Maior de tropas de governo sírio.

Não estavam aviões russos sobre a região.

Os nossos colegas do Pentágono sabem disso.

Em conformidade com o memorando assinado, nós avisamos oportunamente eles sobre o tempo e as rotas de voos do nosso grupo aéreo na Síria.

Os representantes do Pentágono já afirmaram que em 6 de dezembro os aviões da Força Aérea norte-americana estavam operando na região, a 55 quilômetros do local do ataque.

Tudo isso é verdade mas não é a verdade completa.

No céu sobre o povoado de Deir ez-Zor estavam dois pares de aviões de combate de outros dois países da coalizão anti-Daesh.

Vai levar muito tempo para restaurar Aleppo, Síria - Sputnik Brasil
Operação dos EUA na Síria mata dezenas de civis
Se os norte-americanos nada têm a ver com o ataque, então porque os representantes do Pentágono fazem silêncio sobre presença de aviões dos seus aliados na região, onde foi realizado um ataque contra as divisões das tropas do governo sírio?

Será que a razão é que a aviação da coalizão recebe toda a informação sobre os alvos do Daesh na Síria do mesmo Pentágono?

E mais do que isso, os ataques aéreos errados da coalizão estão levando mais vidas de sírios.

Poucos dias atrás, em resultado de um ataque da coalizão na aldeia de Al-Khan, segundo informaram ativistas do Conselho Sírio de Direitos Humanos, mais uma vez morreram dezenas de civis.

Caças das Forças Armadas dos EUA durante operação nos céus da Síria - Sputnik Brasil
Coalizão internacional ataca forças do governo da Síria
Então, talvez os nossos colegas da chamada coalizão devam abrir as cartas!

Pois nós desde o início da operação já muitas vezes sugerimos aos norte-americanos organizar a troca de informações disponíveis sobre a localização de alvos dos terroristas na Síria.

Se não torna-se, como se diz na Rússia, “grande gabador, pequeno fazedor”.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала