Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Aiatolá Khamenei ataca intervenção estrangeira no Iêmen

© AP Photo / Office of the Iranian Supreme LeaderAiatolá Ali Khamenei
Aiatolá Ali Khamenei - Sputnik Brasil
Nos siga no
A intervenção estrangeira é uma reação errada para a situação no Iêmen, segundo afirmou nesta quinta-feira (9) o Líder Supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei.

"A intervenção estrangeira é uma reação errada para a violência interna e a guerra civil, especialmente depois das catástrofes que aconteceram no Afeganistão e no Iêmen", disse ele.

Iemenitas andam sobre destroços de casas destruidas pelos bombardeios sauditas perto da capital Sanaa - Sputnik Brasil
Bombardeios liderados pela Arábia Saudita atingem escola e matam 6 crianças no Iêmen
Enfatizando que o Irã é contra a intervenção militar estrangeira em todo o Oriente Médio, o aiatolá defendeu que “a única solução para a atual crise humanitária no Iêmen é cessar imediatamente os ataques aéreos liderados pela Arábia Saudita no território do país".  De acordo com o líder iraniano, a crise no Iêmen também facilita a expansão das atividades de grupos terroristas na região, particularmente da Al-Qaeda e do Estado Islâmico.

Ashton Carter, secretário de Defesa dos EUA. - Sputnik Brasil
EUA admitem avanço da Al-Qaeda no Iêmen
Khamenei também pediu que sunitas e xiitas "se unam nestes tempos difíceis" e afirmou que o Irã apoia o diálogo nacional no Iêmen, que desde agosto de 2014 tem enfrentado uma grave crise política e de segurança. 

Cidadãos do Iêmen no local de um ataque aéreo em Sanaa - Sputnik Brasil
EUA aceleram envio de armas para coalizão saudita no Iêmen
No final de janeiro deste ano, o Ansar Allah, grupo mais conhecido como Houthis, forçou o presidente iemenita e o governo a renunciarem. Posteriormente, os rebeldes xiitas tomaram o controle da capital Sanaa e de várias províncias do norte do país. 

No final de março, a Arábia Saudita lançou uma operação militar no país vizinho e, desde então, tem bombardeado várias posições dos Houthis, deixando muitas vítimas entre a população civil, com o apoio de uma coligação internacional à qual se uniram outros países árabes, como Bahrein, Catar, Kuwait, Emirados Árabes Unidos, Egito, Jordânia, Marrocos, Paquistão e Sudão.

Atualmente, os rebeldes estão lutando contra as forças leais ao presidente Abd Rabbuh Mansur Hadi (que fugiu para a Arábia Saudita) pelo controle da segunda maior cidade do Iêmen, Aden. A coalizão, por sua vez, está considerando a possibilidade de lançar uma operação terrestre no país. 

Veja aqui fotos da situação.


Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала