União Europeia impõe novas sanções a empresas iranianas

Nos siga noTelegram
A União Europeia voltou a impor medidas restritivas a 32 empresas de transporte iranianas e um banco. As sanções foram decorrentes de uma introdução de novas bases jurídicas.

Segundo a publicação no Diário Oficial da UE nesta quarta-feira, "devido às novas bases jurídicas, 32 dessas entidades voltaram à lista de indivíduos e empresas a que se aplicam as medidas restritivas".

A lista inclui o Banco Tejarat, cuja inclusão na lista negra havia sido suspensa por decisão do Tribunal de Justiça da União Europeia em 22 de janeiro. 

Anteriormente, a União Europeia havia suspendido algumas sanções contra o país persa até 30 de Junho, devido aos avanços nas negociações sobre o programa nuclear iraniano.

Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, em entrevista exclusiva ao diretor-geral da agência noticiosa “Rossiya Segodnya”, Dmitry Kiselev - Sputnik Brasil
Lavrov: Rússia pode apoiar programas nucleares em outros países além do Irã
O Conselho da União Europeia, por sua vez, alterou a base legal para reinserir as empresas mencionadas à lista de restrições.

A decisão veio dias após o Irã e o Grupo P5 + 1 (Estados Unidos, França, China, Grã-Bretanha, Rússia e Alemanha) ter acertado um acordo preliminar em Lausanne, na Suíça, sobre o programa nuclear do Irã, após muitos meses de negociações.

O acordo alcançado exige que o Irã suspenda dois terços da sua capacidade de enriquecer urânio para os próximos 10 anos.

Além disso, o país persa concorda em submeter todos os seus programas nucleares ao controle internacional durante os próximos 25 anos.


Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала