23:53 30 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    1100
    Nos siga no

    O descuido de Fernando Simón não passou despercebido pelos internautas, que não perderam nem um minuto para propagar o "escorregão" do epidemiologista.

    O diretor do Centro de Coordenação de Alertas e Emergências da Espanha, Fernando Simón, "voltou ao passado" nesta segunda-feira (17) durante uma coletiva de imprensa.

    Na ocasião, o epidemiologista mencionou duas vezes a União Soviética enquanto se referia à Sputnik V, a vacina russa contra COVID-19.

    Ao abordar os avanços internacionais no desenvolvimento de vacinas, o porta-voz técnico da Saúde da Espanha destacou que as "vacinas que vão ser comercializadas na Europa têm que passar pelos pré-requisitos da Agência Europeia de Medicamentos", que está "em processo de avaliar se estão habilitadas como candidatas a serem comercializadas no continente".

    "Além do mais, outras estão sendo avaliadas, produzidas na Europa, Estados Unidos, União Soviética e China", acrescentou o porta-voz.

    ​Fernando Simón acabar de dizer que a União Soviética terá vacina contra a COVID-19. Outro triunfo do comunismo.

    Mais tarde, Simón voltou a cometer a mesma gafe, quando disse que os "dos testes soviéticos e da China não temos os detalhes técnicos para saber se vão ser autorizadas na Europa".

    A gafe dupla não passou despercebida pelos internautas, que retrucaram as declarações do porta-voz espanhol com uma chuva de memes.

    ​Fernando Simón acaba de falar da vacina "da União Soviética"

    ​Fernando Simón fez ressurgir a União Soviética

    ​Eu quando Fernando Simón disse União Soviética

    Mais:

    Imunidade de rebanho não será salvação contra COVID-19 sem vacina, alerta OMS
    Rússia inicia 2ª fase de testes clínicos de outra vacina contra coronavírus
    Vacina russa contra COVID-19 é fruto de décadas de trabalho, diz vice-presidente do Centro Gamaleya
    Tags:
    Espanha, União Soviética, vacina, pandemia, COVID-19, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar