15:38 19 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    0 50
    Nos siga no

    Pesquisadores descobriram uma floresta fóssil, que provavelmente foi destruída por uma inundação há 386 milhões de anos.

    Em uma pedreira de arenito que se estende desde o povoado do Cairo, no estado de Nova York, até o estado da Pensilvânia, uma equipe de cientistas encontrou os restos da floresta fóssil mais antiga do mundo.

    Os restos da floresta, de 386 milhões de anos, poderiam ajudar na compreensão da mudança climática da Terra, que vem ocorrendo ao longo do tempo.

    O estudo, realizado por cientistas da Universidade de Binghamton, Museu do Estado de Nova York e pela Universidade de Cardiff, foi publicado na Current Biology.

    Detalhes das árvores Archaeopteris
    Detalhes das árvores Archaeopteris

    "Estas florestas fósseis são extremamente raras", afirmou Chris Berry, da Faculdade de Ciências da Terra e do Oceano da Universidade de Cardiff.

    "Para entender realmente como as árvores começaram a extrair dióxido de carbono da atmosfera, precisamos compreender a ecologia e os habitats das florestas primitivas", ressaltou.

    Sistema de raízes da Eospermatopteris
    Sistema de raízes da Eospermatopteris

    Os pesquisadores começaram o trabalho na área, localizada no vale de Hudson, há mais de 10 anos, cartografando mais de três mil metros quadrados.

    Com isso, foi possível descobrir que o local abrigava três tipos de árvores, sendo um deles do gênero Archaeopteris, com raízes largas, que podiam chegar até 12 metros.

    Sistema de raízes da Archaeopteris
    Sistema de raízes da Archaeopteris

    Outro tipo é o cladoxilopsidos, uma árvore sem folhas e de 10 metros de altura, enquanto o terceiro tipo ainda não foi identificado.

    Além disso, os pesquisadores descobriram raízes lenhosas muito longas, que transformaram a forma como as plantas e os solos coletam a água. De acordo com informações, a floresta teria sido destruída por uma inundação, já que foram encontrados fósseis de peixes na superfície da pedreira.

    Vista aérea da floresta mais antiga do mundo
    Vista aérea da floresta mais antiga do mundo

    O surgimento das florestas marcou mudanças permanentes na ecologia, nos níveis atmosféricos de CO2 e no clima, sendo um dos eventos mais marcantes na história da Terra.

    "Todas essas árvores que surgiram tinham o efeito de eliminar o dióxido de carbono da atmosfera [...] No final do período Devônico, a quantidade desse gás foi reduzida ao que é hoje", afirmou Berry.

    "Estudar os fósseis poderia nos ajudar a entender a mudança climática moderna. Compreender como isso aconteceu anteriormente é crucial para prever o que acontecerá no futuro, à luz das mudanças climáticas e do desmatamento", completou Sandy Hetherington, da Universidade de Oxford.

    Mais:

    Da Amazônia à Sibéria: intensidade anormal de incêndios florestais ao redor do globo
    Floresta fossilizada de 400 milhões de anos é descoberta na China (FOTO)
    Floresta Chaco: 2º 'pulmão' da América do Sul está tão ameaçado quanto Amazônia
    Tags:
    mudança climática, árvores, EUA, fóssil, floresta, descoberta
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar