10:45 23 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    O co-fundador do WikiLeaks, Julian Assange, em discurso para jornalistas e manifestantes em uma varanda da Embaixada do Equador em Londres.

    WikiLeaks: Assange pode ser expulso da Embaixada do Equador em breve

    © Sputnik / Alex MacNaughton
    Sociedade
    URL curta
    8014
    Nos siga no

    O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, corre o risco de ser expulso da Embaixada do Equador em Londres nas próximas horas ou nos próximos dias, conforme revelou o próprio site nesta quinta-feira.

    De acordo com uma fonte citada pelo WikiLeaks, o presidente equatoriano, Lenín Moreno, teria chegado a um acordo com o Reino Unido para possibilitar a prisão do hacker, responsável pelo vazamento de uma série de documentos secretos, inclusive dos Estados Unidos, para onde teme ser extraditado.

    ​Lenín Moreno culpa Assange por denúncias recentes de corrupção em sua administração, acusando o WikiLeaks de interceptar telefonemas e conversas privadas, e insinuou na última quarta-feira, durante comentários à Associação de Emissoras de Rádio do Equador, que Assange desempenhou algum papel na circulação de "fotos do meu quarto, o que eu como e como minha esposa e filhas e amigos dançam" nas redes sociais.

    Assange vive na embaixada equatoriana no Reino Unido desde 2012. O ativista disse repetidamente que teme a extradição para os Estados Unidos devido ao fato de ter publicado milhares de documentos sigilosos dos EUA que vazaram para o seu site ao longo dos anos. Sua equipe de defesa notou relatos da mídia sugerindo que Moreno teria o interesse de chegar a um acordo com os Estados Unidos para entregá-lo a Washington em troca de "alívios da dívida".

    Mais:

    Equador acredita que Assange deva se entregar às autoridades britânicas
    Presidente equatoriano pressiona Assange para deixar a embaixada do país em Londres
    Presidente do Equador negocia com britânicos a saída de Assange da embaixada em Londres
    EUA preparam processo contra Assange
    Tags:
    WikiLeaks, Lenín Moreno, Julian Assange, EUA, Estados Unidos, Londres, Reino Unido, Inglaterra, Equador
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar