17:10 14 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Uma mulher sensual

    Israel poderá criminalizar dança erótica como forma de prostituição

    CC0 / Pixabay
    Sociedade
    URL curta
    524

    As autoridades de Israel anunciaram a implementação de medidas administrativas contra a dança erótica, ou dança do colo, que poderá, como parte da medida, acabar com a prostituição no país.

    As autoridades de Israel em colaboração com a polícia decidiram tomar medidas contra a prática de dança erótica em clubes de strip-tease, por esta ser associada à indústria do sexo. Além disso, emitiram um aviso escrito aos proprietários dos lugares, onde ocorre este tipo de evento, informando que poderão se deparar com medidas administrativas, caso forem pegos em flagrante.

    O vice-procurador-geral do Estado, citado pelo The Jerusalem Post, descreve a dança como "uma atividade que em certas circunstâncias representa prostituição", enquanto que a prostituição é ilegal no país.
    "A continuação desta prática representa uma ofensa e uma causa para usar todos os meios legais", acrescentou o funcionário.

    Uma vez que a dança erótica não envolve sexo e, em muitas ocasiões, o cliente é até mesmo proibido de tocar em strippers, a prática é associada ao assédio verbal e físico generalizado de dançarinas, tipicamente mulheres, pelos visitantes do clube.

    O aviso sobre a proibição do ato foi divulgado logo após o Comitê Ministerial de Legislação israelense ter aprovado um projeto prevendo uma multa entre US$ 415 (R$ 1,7 mil) e US$ 3,9 mil (R$ 16,2 mil) para os clientes acusados de pagar serviços de prostituição.

    Mais:

    Kim Kardashian mostra assustador 'implante extraterrestre' (VÍDEO)
    Esposa de Netanyahu é suspeita em caso de suborno
    Tags:
    multa, proibição, prostituição, dança erótica, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik