12:11 12 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Casal feliz

    Negócio especial ajuda mulheres chinesas enganadas a 'eliminar' amantes

    © flickr.com/ Kan Wu (CC BY 2.0)
    Sociedade
    URL curta
    0 20

    Na China está florescendo uma indústria "anti-amante" projetada como serviço para mulheres casadas, de acordo com o The New York Times. Seus especialistas são contratados para eliminar pacificamente uma rival se o homem caiu nos braços de outra mulher.

    Quando as esposas suspeitam de traição de seu marido, apenas têm que contratar uma equipe "de investigação" que por uma módica quantia de várias dezenas de milhares de dólares, se infiltra na vida da amante e ganha sua amizade e confiança a fim de quebrar as relações românticas, relata o NYT.

    Primeiro, a empresa começa com uma investigação sobre a amante, analisa sua família, círculo de amigos, nível de educação e trabalho. Depois nomeia o empregado mais "adequado" para o caso. 

    "Quando sabemos que tipo de amante é, se está interessada em dinheiro, amor ou sexo, elaboramos um plano," contou ao NYT o Sr. Shu, diretor da Weiqin, uma das maiores empresas neste negócio, que começou operando em 2001 na cidade de Shanghai e se expandiu para 59 cidades.

    Os funcionários da empresa dizem que precisam de cerca de três meses para "eliminar" uma amante.

    A maneira de acabar com a infidelidade é variável. Em alguns casos, o novo "amigo" consegue convencer a amante para pôr fim a uma relação "antiética".

    Em outros, a influência do conselheiro da empresa leva à busca de outro amante ou uma mudança de emprego para outra cidade. No entanto, os funcionários são proibidos de manter relações com a suposta amante ou ameaçar de qualquer forma.

    Ao mesmo tempo, os funcionários ajudam as esposas enganadas a restaurar sua confiança, a se sentirem mais atraentes e a despertar a paixão de seu marido para que uma situação tão lamentável não se repita, diz a mídia.

    Embora os serviços das empresas não sejam baratos, a outra opção, o divórcio, pode ser ainda mais caro, especialmente para as mulheres. Além do estigma social que recai pesadamente sobre as mulheres, a propriedade da família e finanças na China tendem a ser registradas em nome do marido. Uma mulher divorciada pode ficar sem teto.

    Mais:

    Sexo no espaço: cientistas dão salto gigantesco e mostram que é possível
    Chineses desenvolvem ‘Mulher Maravilha’, um robô que sabe pensar
    Tags:
    casamento, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik