18:20 18 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Manifestação contra o impeachment de Dilma, no Largo da Batata, em São Paulo

    CUT e Frente Brasil Popular se mobilizam para fazer pressão sobre o Senado

    Paulo Pinto/ Agência PT
    Sociedade
    URL curta
    Pedido de impeachment de Dilma Rousseff (132)
    0 101

    O plenário da Câmara dos Deputados aprovou, em sessão especial neste domingo, 17 de abril, o envio ao Senado Federal do resultado da votação extraordinária ocorrida neste dia. A CUT, a Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo já planejam ações de repúdio aos resultados da votação e prometem pressionar o Senado.

    Segundo Mauro Rubem, presidente da Central Única dos Trabalhadores em Goiás (CUT-GO), o momento é de responsabilidade e os movimentos sociais precisam se moblizar. 

    "O resultado na Câmara aumenta a responsabilidade dos movimentos sindicais e da classe trabalhadora. Esse é mais um passo do golpe que já está instalado. Por outro lado, há um aspecto positivo, porque a população vai ter mais informações sobre as negociações que foram feitas para fabricar esse resultado. A população vai reconhecer a perda de direitos e o aumento da terceirização do trabalho. Acredito que nas ruas já está surgindo o sentimento contra o golpe. O povo não confia nem em Temer e nem em Cunha. Nesta segunda-feira, às 18h30, a Frente Brasil Popular estará se reunindo para traçar estratégias."

    Já Frente Brasil Popular, Frente Povo Sem Medo lançou uma nota, ainda na madrugada da segunda-feira, convocando os movimentos sociais para as ruas. 

    "Não aceitamos o golpe contra a democracia e nossos direitos! Vamos derrotar o golpe nas ruas!", informou a nota, que chamou o impeachemnt de "fraudulento, de uma presidente da República contra a qual não pesa qualquer crime de responsabilidade".

    "Faremos pressão agora sobre o Senado, instância que julgará o impeachment da presidente Dilma sob a condução do ministro Lewandowski do STF."

    "A Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo desde já afirmam que não reconhecerá legitimidade de um pretenso governo Temer, fruto de um golpe institucional, como pretende a maioria da Câmara ao aprovar a admissibilidade do impeachment golpista."

    A Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo convocaram movimentos sociais para atos nas próximas semanas e para a realização de uma grande Assembleia Nacional da Classe Trabalhadora, no próximo 1º de maio.

    Tema:
    Pedido de impeachment de Dilma Rousseff (132)

    Mais:

    'Dilma não se curvará ao golpe', anuncia advogado-geral da União
    Dornelles diz em nota que Senado vai ratificar, ou não, aprovação do impeachment
    Deputado Paulo Pimenta: golpe contra a Presidenta Dilma Rousseff se confirmou no domingo
    Exclusivo: deputado Sibá Machado (PT-AC) fala em consolidação do golpe pela Câmara
    Imprensa internacional dá grande destaque à autorização do impeachment de Dilma
    Tags:
    movimentos sociais, impeachment, Senado, Câmara dos Deputados, STF, Frente Povo Sem Medo, Frente Brasil Popular, CUT, Dilma Rousseff, Mauro Rubem, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik