17:11 18 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Um porco presencia uma feira agrícola nos EUA, em 2009. Foto de arquivo

    ‘Sem problemas’: muçulmanos instalados em antigo centro de suinicultura na Finlândia

    © AFP 2017/ TIM SLOAN
    Sociedade
    URL curta
    368811

    O novo centro de acolhimento na cidade finlandesa de Hyvinkää fica nas instalações de um antigo centro de pesquisa na área de suinicultura. Segundo o diretor executivo do centro, isto não gerou problemas.

    Na semana passada foi aberto um centro de acolhimento de refugiados em Hyvinkää. Segundo disse Milja Saksi, diretor executivo da organização Luona oy, que fornece serviços sociais e médicos, cerca de uma centena de candidatos a asilo já chegaram ao centro enquanto a capacidade total do centro é de 300 pessoas. 

    Neste momento, a organização Luona oy é responsável por oito centros de acolhimento de refugiados na Finlândia do sul. 

    O trabalho do centro em Hyvinkää gera certas questões: fica nas instalações de um ex-centro de pesquisa na área de suinicultura enquanto muitos refugiados são muçulmanos. Segundo o Islã, os porcos são animais impuros e os muçulmanos não comem carne suína. 

    Pode-se pressupor que os muçulmanos não concordarão viver em tal lugar mas o próprio diretor executivo diz que, antes da chegada dos refugiados, a sua organização falou com um teólogo e imã, que disse que não deveria haver problemas. 

    A atividade do centro foi parada dois anos atrás e não incluía qualquer granja de criação de porcos, então não é um problema. 

    “Não sei se os candidatos a asilo foram informados que antes aqui tinha existido este centro de pesquisa, mas não escondemos isto em todo o caso”.

    Além disso, os refugiados vivem em instalações onde nunca houve animais.

    Tags:
    muçulmanos, islã, suinocultura, refugiados, Finlândia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik